Campina Grande simboliza a força econômica do sertão nordestino

O Açude Velho foi o primeiro açude que Campina Grande já teve

Campina Grande, na Paraíba, é a cidade interiorana com aspiração a ser cidade grande, como manda o nome. E é, de fato, uma das maiores do sertão nordestino, com cerca de 400 mil habitantes. Sua área metropolitana possui cerca de 600 mil pessoas.  Já passou por períodos em que a economia dominante era a do açúcar e do algodão. Mas, atualmente Campina Grande é um pólo tecnológico importantíssimo para o Brasil e para a América Latina. Localizada a 115 km a oeste de João Pessoa, a capital do estado, Campina Grande recebe uma das maiores festas juninas do mundo. Vive em disputa constante com Caruaru, no interior de Pernambuco. Para o Brasil, é só vantagem abrigar em seu território os dois maiores arraiais de São João do mundo.

Localizada na região serrana do estado, Campina Grande ocupa o centro e o topo do Planalto da Borborema, a uma altitude de 560 metros acima do nível do mar. Isso explica o fato de muitas se referirem à cidade como a “Rainha da Borborema”. A cidade tem o segundo maior PIB entre os municípios paraibanos, produzindo 13% de todas as riquezas do estado. Campina Grande é referência nacional no que se refere à produção tecnológica, tendo sido chamada até de “Vale do Silício brasileiro”. Diante de toda essa grandiosidade, fica fácil derrubar aquela velha imagem estereotipada de um sertão nordestino miserável e improdutivo. Existem muitas coisas interessantes nessa região do Brasil.

Mas a cidade também preserva suas origens. Misteriosos sítios arqueológicos, engenhos que ainda produzem cachaça como no século XVIII, casarões bem preservados e igrejas do período colonial estão por toda a parte. As tradições rurais também ainda estão vivas, nas fazendas das proximidades da área metropolitana. Em Galante, a 12 km do centro de Campina, o visitante pode experimentar a autêntica comida de forno à lenha, em almoços animados pelo forró pé-de-serra. No mês de junho, o arraial na cidade recebe milhares de pessoas em busca da tapioca, pé de moleque, canjica, rapadura e outras iguarias da culinária paraibana e nordestina. Muita música, danças típicas e barracas com brincadeiras e brindes fazem a alegria de crianças, adolescentes, adultos e idosos. Em Campina Grande não há espaço para depressão.

Assim como no sertão do Piauí, a Paraíba também possui alguns dos sítios arqueológicos mais interessantes do Brasil. Em Ingá, a 37 km de Campina Grande, é possível encontrar inscrições rupestres em paredões rochosos. Isso indica que o Brasil é habitado há pelo menos 15 mil anos.

Para quem gosta de compras, Campina Grande é repleta de mercados e feiras, nos quais a variedade de alimentos, tecidos e artesanatos é grande. Aos que preferem gastar dinheiro em ambientes de cidade grande, a dica é ir ao Boulevard Shopping Campina Grande.

Foto: kyllercg no Flickr

Autor: Caio Lima

Blogger na rede The Diktyo SL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *