Centro Histórico da Cidade de Goiás

Centro Histórico de Goiás

Principal palco da memória histórica da cidade atrai milhares de turistas nacionais e internacionais. Quase 500 móveis tombados pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) desde 1978. São 1.200 peças consideradas bens móveis, caso das obras de artes ou mobílias. A arquitetura religiosa influencia nos detalhes arquitetônicos das construções. Traçado irregular traz alguma influência inclusive de traços medievais. Arquitetura simples influenciada por portugueses. Fachadas se ordenam entre si junto com quintais de grande extensão. Conheça o Centro Histórico da Cidade de Goiás.

Um pouco de história

Interessante notar que esta região estava situada logo a oeste do Tratado de Tordesilhas, região pertencente à Espanha. O Centro foi fundado no ano de 1727.

Local conhecida como Sertão dos Colares, com predominância climática principal da caatinga. No século XVIII a expedição liderada pela família Anhanguera acaba culminando na descoberta de grandes jazidas de ouro nas margens do rio Vermelho.

Características dos imóveis tombados!

Casas do período colonial compostas basicamente por taipas. As paredes possuem quase meio metro de largura. O forro tipo gamela causa deslumbrante efeito estético. De forma principal a arquitetura vernaculizar permitiu com que a região fosse escolhida como Patrimônio da Humanidade.

Arquitetura vernaculizar: Vinculado com formatos simples, característicos da época na qual as tendências barrocas estavam no apogeu dentro do país.

A alma deste local também colaborou para a chegada do título da UNESCO. Pessoas simples recebem turistas com hospitalidade que está acima do convencional. Cada cidadão residente possui diversas histórias, deixando a visitação rica ainda mais rica no aspecto cultural.

Algumas construções se destacam pela onipotência e beleza, caso do Chafariz Público, Antigo Fórum ou da Antiga Cadeia (com grades de madeiras). A natureza exuberante presente no entorno realça o charme estético arquitetônico do Centro Histórico da Cidade de Goiás.

A tragédia do rio Vermelho!

Pouco meses depois do título mundial concedido pela UNESCO aconteceu tragédia natural que prejudicou grande parte das construções tombadas. No dia 31 de dezembro daquele ano de 2001 ocorreu o Grande Alagamento do Rio Vermelho, prejudicando de forma direta 150 imóveis históricos.

Em menos de dez anos a cidade foi reerguida preservando os traços da arquitetura colonial. Diversos agentes da IPHAN lideraram os projetos de reestruturação. Todavia, a sociedade goianiense se uniu em conjunto para reestruturar o centro que simboliza motivo de enorme orgulho à população local. Prédios públicos e residenciais particulares contaram com amplo apoio do governo e da inciativa privada.

Leia mais

Chapada dos Veadeiros atrai turistas aventureiros e místicos
Conheça os Patrimônios Culturais da Humanidade brasileiros

Foto: twuturismo.com.br

Autor: Renato Duarte Plantier

Redator na rede de blogs The Diktyo SL. Coproprietário e Redator de blogs informativos em AsemioticanaWeb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *