Centro Histórico de Diamantina

O Centro Histórico de Diamantina é Patrimônio Cultural da UNESCO
O Centro Histórico de Diamantina é Patrimônio Cultural da UNESCO

Diamantina é conhecida como cidade que traz partes indispensáveis à manutenção da memória nacional. O barroco envolve a casaria central, movimento artístico que se manteve na moda entre os séculos XVI e XVIII, influenciando inclusive as arquiteturas das igrejas do Brasil colonial. O município mineiro representa paradigma neste âmbito de discussão. Conheça o Centro Histórico de Diamantina. Patrimônio Cultural da UNESCO.

Patrimônio Cultural

Está situada no Vale do Jequitinhonha, região norte do interior mineiro, aproximados 300 km da capital Belo Horizonte. Região municipal forte nas épocas colônias e republicanas em consequência das condições geográficas para exploração de diamante e ouro. A procuração continua na atualidade, embora os exploradores não encontrem as variedades oferecidas nos séculos passados.

A UNESCO (Organizações das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) concedeu título de patrimônio cultural no ano de 1999, e desde então, Diamantina conta com ampla presença de turistas em busca de turismo religioso.

O tombamento de centro diamantino ocorreu nacionalmente em 1938. Representou um dos mais antigos tombamentos feitos no Brasil, quando o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico a Artístico Nacional) ainda era SPHAN (Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).  Organizadores da UNESCO contabilizam área de aproximados 30 hectares, coincidindo com a mesma contabilização realizada no âmbito do tombamento federal.

Características da arquitetura

Inspiração barroca peculiar em igrejas, residências do centro velho e paisagismo natural exuberante foram os três motivos que fizeram a região chegar ao apogeu cultural por causa da titulação concedida.

O centro de Diamantina foi erguido em sítio íngreme com traçado urbano sinuoso composto por vias estreitas e pedras no calçamento. A região do casario não tem recuo frontal e ganha destaque pelas cores em tons vivos presentes nas esquadrias, contrastando com a cor branca.

Elementos das arquiteturas portuguesas e árabes se misturam formando rica composição cultural arquitetônica com alto nível de inspiração medieval. Há algumas partes planas que trazem pedras acinzentadas no chão e nas paredes.

Costumes e atrações turísticas

Nos festivais que acontecem normalmente em feriados os turistas acompanham tradições peculiares no folclore e nas músicas tocadas ao vivo ou nos rádios ligados na zona comercial de Diamantina.

O centro velho respira cultura, além de contar com anfitriões carismáticos que oferecem a melhor culinária do Brasil. Pratos típicos mineiros são conhecidos por agradarem paladares diferentes.

Representa paradigma em nível mundial de como misturar linhas suaves aos trópicos tropicais. Conta inclusive com três obras idealizadas por Oscar Niemeyer, feitas durante os anos 50 do século passado.

Conheça outros patrimônios da humanidade:

Centro Histórico de São Luís

Brasília Plano Piloto

Centro Histórico de Goiás

Foto: countrysessions.org/blog

Autor: Renato Duarte Plantier

Redator na rede de blogs The Diktyo SL. Coproprietário e Redator de blogs informativos em AsemioticanaWeb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *