Grand Canyon atrai aproximadamente cinco milhões de turistas por ano

Grand Canyon

A grande maioria das pessoas que planejam viagens aos Estados Unidos pensa logo de cara em Nova York, Disney ou Las Vegas. Mas o país mais poderoso do mundo também possui belezas naturais encantadoras que também merecem atenção, como o Grand Canyon. Localizado entre os estados do Arizona e Utah, o local já foi cenário de inúmeros filmes de Velho Oeste e atualmente recebe em média cinco milhões de turistas por ano. Apesar da paisagem da região ser árida, insuportavelmente quente e hostil, é possível desfrutar de bons momentos de diversão nesse lugar maravilhoso.  É aconselhável levar protetor solar, chapéu, roupas leves e calçados apropriados para caminhar pela região sem sofrer com as temperaturas do deserto, que alcançam os 40 graus com muita facilidade. Porém, como a altitude do local varia de 600 a 2400 metros, o clima pode variar drasticamente. Pelo fato de se tratar de uma região desértica, a amplitude térmica pode mudar drasticamente do dia para a noite. Por isso, é recomendável também levar agasalhos para se proteger do frio, que pode ser mais intenso no inverno com a ocorrência de neve em alguns pontos.

O Grand Canyon possui mais de 500 km de extensão e foi cavado pelo rio Colorado ao longo de milhões de anos. Aliás, é este o rio que atravessa o canyon. A paisagem é encantadora, com os desfiladeiros rochosos esculpidos pela natureza e o rio Colorado passando pela parte mais baixa do precipício. A altura dos paredões ultrapassa os dois mil metros de altitude e a largura varia de 6 a 29 km de comprimento. O Parque Nacional do Grand Canyon (Grand Canyon National Park), localizado no Arizona, a 402 km da cidade de Phoenix, oferece várias atrações para seus visitantes, como rafting pelo rio Colorado, alpinismo, pesca, passeios aéreos, trilhas pelo meio das rochas, camping, passeio de cavalo ou mula etc. Mas a atividade mais popular entre os turistas é apenas apreciar a vista, principalmente no nascer ou pôr do sol. Maravilhoso mesmo!

Há duas bordas do Grand Canyon: A borda norte e a sul. A maioria das pessoas visita a borda sul – que é cerca de 300 metros mais baixa que a borda norte – pelo fato de ser mais fácil de chegar e ficar aberta durante o ano inteiro. O interior do cânion, lá embaixo, pode ser desbravado a pé, em mula ou em balsa pelo rio Colorado. A borda sul abriga os pontos de observação mais populares, como o Desert View, o Grand Canyon Village e o Hermits Rest. A região também é dotada de uma excelente infra-estrutura hoteleira, que inclui hotéis, albergues e pousadas para todos os gostos e bolsos. Quem não gosta de se aventurar por vários dias no meio na natureza pode conhecer o Grand Canyon num breve passeio de helicóptero partindo da cidade de Las Vegas, no estado de Nevada. Mas, para apreciar esse roteiro, o visitante deverá desembolsar em média U$$300.

Foto Grand Canyon: David Alonso Rincón alonsorincon.com

Autor: Caio Lima

Blogger na rede The Diktyo SL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *