Paris Plage, a praia artificial de Paris

Paris Plage, ao longo do rio Sena

Está reaberta uma das grandes atrações turísticas dos verões parisienses, a famosa praia artificial situada na beira do magnífico e histórico rio Sena, um dos grandes símbolos da geografia e dos romances em Paris. Quem for para cidade turística mais visitada do mundo não pode perder a oportunidade de visitar a região.

Os píeres estão situados ao longo de quase um quilômetro de água que vai desde o Canal Saint-Martin até o museu do Louvre. Foram transportadas via navio mais de cinco mil toneladas de areia legítima que se encontram magnificamente com a beira do rio. Mesmo com as constates chuvas de verão os moradores não perdem a oportunidade de tomar sol e curtir um sadio laser.

Até o final de agosto estão marcadas diversas atrações e shows que irão animar a animada multidão no Paris Plage. Existem cadeiras e sombrinhas disponíveis com abundância ao redor de toda praia. Há até mesmo aulas de diversas modalidades esportivas aquáticas,

Os esportes praieiros são praticados com bastante segurança. As zonas são bem delimitadas e completam uma grande área de esporte e lazer, existindo desde diversas redes de vôlei até piscina com ondas artificiais (local bastante procurado atualmente).

Crise econômica, solução caseira!

A praia foi construída pela primeira vez no ano de 2002. Com esta crise econômica mundial a cada dia mais assombrando a Europa não há outra opção para os franceses se não curtir o verão internamente. Neste sentido, a demanda turística interna tem tudo para aumentar no rio Sena durante o período.

Segundo o prefeito da cidade, Stéphane Chave, muitos parisienses (cerca de 45%) não vão sair do país durante as férias, o que de fato gerou uma demanda bem particular para a iniciativa. A grande imprensa opositora do governo acredita que este é mais um capítulo da famosa política de pão e circo para um país com problemas em manter a sua excelente distribuição salarial e geração de emprego que atualmente se encontram ladeira abaixo.

De uma forma ou de outra, este tipo de iniciativa é bastante reverenciada pela população mundial. Depois da estreia no início da década passada, diversas nações no planeta copiaram o projeto, tais como Roma, Nova York, Tóquio, entre outros. De fato, os governos destes países pretendem que suas populações não gastem dinheiro externamente.

Quem almeja visitar Paris pode procurar mais informações turísticas no artigo escrito pela estimada colega jornalista Mariana Valle: Um passeio cultural por Paris.

Foto: adelgado no Flickr 

Autor: Renato Duarte Plantier

Redator na rede de blogs The Diktyo SL. Coproprietário e Redator de blogs informativos em AsemioticanaWeb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *