Parque Nacional do Jaú

Parque Nacional do Jaú em Roraima
Parque Nacional do Jaú em Roraima

O Parque Nacional do Jaú está abrangido em Roraima e no Amazonas. Fundado no início da década de 1980 do ano passado, conta com administração realizada pelo ICMBIO (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). Em 2000 entrou na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO. Traz parte da exuberante Floresta Amazônica, considerado bioma com maior diversidade nas espécies de animais e vegetais. Local indicado aos que desejam realizar trilhas para contemplar belezas naturais ou fazer canoagem proporcionada pelas movimentações do rio Carabinani.

Traços Culturais

Na região aconteceram os primeiros passos de colonização no Amazonas por indígenas, há milhares de anos. Por este motivo, existem alguns traços marcados por batalhas entre tribos em busca da posse dos territórios. Artefatos de cerâmicas, escritos em pedras e instrumentos musicais representam achados que evidenciam a presença milenar na região.

A bacia do Jaú banha o parque que possui o mesmo nome oriundo de uma das maiores espécies de peixes brasileiros encontradas na região em ampla diversidade. O termo é de origem tupi. Talvez a maior particularidade do parque esteja no fato de abrigar em unidade de conservação um rio extenso. O Parque Nacional tem aproximados 2.367 hectares na área prevalência de ecossistema com águas pretas.

Características Naturais

Na região são encontradas florestas densas e abertas, sendo que existe pelo menos um jacaré para cada quilômetro, o animal com maior habitat no Parque Nacional do Jaú. Traz clima típico das florestas tropicais brasileiras, ou seja, variação entre 22 C° e 33 C° na maior parte do ano.

Amaná: Considerado como maior lago do território amazônico. Junto com as riquezas naturais representa principal atração no Parque Nacional do Jaú.

Como chegar ao Parque Nacional do Jaú?

Clima úmido que proporciona a evolução das florestas tropicais. Quem segue da capital do Amazonas, Manaus, pode fazer viagem de lancha ou barco via Rio Negro até chegar ao território de Novo Airão, viagem que podem demorar até dezoito horas. Na sequência é necessário alugar outra embarcação para chegar à estrada Manacapuru / Novo Airão via Rio Jaú. Necessário pagar três reais para fazer a visitação turística no parque que está aberto das 07h às 18h.

Visitantes encontram período ideal para fazer a visita entre julho e novembro. Entre dezembro e abril há alta incidência de chuvas. As hospedagens são encontradas em Novo Airão ou Barcelos. Interessante notar que dentro da estrutura há alojamento para pesquisadores e centro de visitantes – duas estruturas são flutuantes.

Foto: historiofobia.blogspot.com

Autor: Renato Duarte Plantier

Redator na rede de blogs The Diktyo SL. Coproprietário e Redator de blogs informativos em AsemioticanaWeb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *