Poços de Caldas: Um ambiente propício para quem procura sossego

Vista aérea da cidade de Poços de Caldas

Com mais de 70 hotéis e pousadas espalhados pela cidade, Poços de Caldas só poderia mesmo ser um dos mais importantes pólos turísticos do sul de Minas Gerais. Muitos desses estabelecimentos oferecem programações e monitores para entreter todas as faixas etárias. Vários ônibus turísticos circulam pela cidade diariamente. Tudo isso porque Poços de Caldas possui um fato curioso que atrai muitas pessoas: A cidade está localizada numa área onde havia um vulcão num passado remoto. As águas ricas em enxofre que ainda borbulham do solo é o maior atrativo do município. O clima de montanha também faz do lugar um dos mais irresistíveis da região.

Porém, toda essa vocação turística é mais antiga do que se pensa. No início da década de 1940, Poços de Caldas vivia seu apogeu graças aos inúmeros cassinos que havia espalhados pela cidade. A boemia era tanta que nem mesmo Carmem Miranda, Juscelino Kubitschek e Santos Dumont resistiam. Visitavam a cidade frequentemente. O então presidente Getúlio Vargas também adorava o ambiente agradável de Poços e chegou a trazer móveis do Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, para decorar sua suíte presidencial do Hotel Palace. Ainda hoje é possível encontrar essa mobília no hotel mais famoso da cidade. Mas, a cidade começou a entrar em decadência em 1946 quando o jogo foi proibido no Brasil. O número de turistas diminuía conforme os cassinos fechavam suas portas. Para os atuais habitantes da cidade, Poços de Caldas deveria ser a “Las Vegas brasileira”.

Apesar desse revés, o município mineiro nunca perdeu o charme daqueles tempos. Tanto é que, até hoje em dia, Poços de Caldas é um dos destinos preferidos para casais em Lua de Mel. São várias praças arborizadas e casarões históricos que propiciam esse clima de romantismo.

Embora esteja localizada no sul de Minas Gerais, a maioria dos visitantes é paulista. O município fica na divisa com o estado de São Paulo, a apenas 240 km da maior cidade do país. As estradas que ligam a capital paulista a Poços de Caldas estão entre as melhores do país. Porém, turistas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e outras regiões brasileiras visitam a cidade com freqüência.

No alto da Serra da Mantiqueira, Poços de Caldas também atrai aventureiros em busca de trilhas no meio do mato, mirantes e cachoeiras. Aliás, são várias quedas d’água, dentre as quais se destacam a Cascata Véu das Noivas e a Cascata das Antas. Esta última abriga as ruínas de uma das primeiras usinas hidrelétricas construídas no Brasil, em 1898. As fontes de águas termais, que saem do solo a uma temperatura de 40°C, são atrações indispensáveis para qualquer pessoa que passa pelo município. As propriedades medicinais dessas águas são indicadas para diversas doenças, como asma, bronquite, úlcera, prisão de ventre, gastrite, reumatismo, nevralgias etc. No balneário das Termas Antônio Carlos, construído em arquitetura romana, existe duchas e saunas que fazem as pessoas se sentirem 10 anos mais jovens. Quem não estiver a fim de relaxar e ganhar esse tratamento vip pode fazer um tour pelo edifício gratuitamente. O local é cartão postal da cidade.

A alta temporada é no inverno, durante o mês de julho, quando as temperaturas podem chegar a -2°C. Os hotéis ficam cheios e o clima fica propício para um bom vinho e passeios ao ar livre pelo centro da cidade. Sem dúvida, um dos lugares mais tranqüilos de Minas Gerais.

Foto: pguedes no Flickr 

Autor: Caio Lima

Blogger na rede The Diktyo SL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *