Um passeio pela capital mais isolada do Brasil

Cidade de Boa Vista, a capital mais isolada

Localizada no distante Estado de Roraima, Boa Vista é a única capital brasileira localizada totalmente no hemisfério norte. As pessoas ouvem falar da cidade apenas na escola, durante as aulas de geografia, mas poucos brasileiros já visitaram o local. Isso se deve ao fato de Boa Vista não constar nos principais roteiros turísticos do Brasil. Mesmo assim, quem visita a capital roraimense não se arrepende da viagem. Concentração de edifícios públicos numa mesma área, avenidas largas e planejadas e calçadas acessíveis. Esse ambiente lembra um pouco a capital federal, Brasília. O entorno de Boa Vista, porém, oferece muito mais do que a aridez do Distrito Federal, já que se trata da região amazônica.

Situada na margem direita do rio Branco, a moderna cidade abriga uma população de 290 mil habitantes. Número pequeno se comparado ao da maioria das demais capitais brasileiras. Aliás, o Estado de Roraima é o menos populoso do Brasil, com apenas 460 mil habitantes, o equivalente à população da cidade de Mauá, no ABC Paulista. Os roraimenses de Boa Vista costumam ser simpáticos com visitantes de fora. A receptividade faz o viajante esquecer as longas distâncias que separam a cidade dos grandes centros urbanos do Brasil. O pequeno centro histórico de Boa Vista guarda as lembranças da época do “milagre amarelo” do garimpo, como o monumento “O Garimpeiro”, na Praça do Centro Cívico.

De relevo predominantemente plano, Boa Vista quando vista do alto surpreende pelo traçado urbano moderno e pela arborização. As avenidas largas convergem para o centro, lembrando um pouco a cidade de Paris. O centro histórico e cívico da cidade encontra-se às margens do rio Branco. É nessa região onde se encontra as sedes dos poderes executivo, legislativo e judiciário estaduais, no Centro Cívico Joaquim Nabuco. Os edifícios públicos roraimenses são cartões postais da cidade e do estado. A arquitetura das áreas mais antigas, próximas ao rio, guarda o estilo da virada do século XIX para o XX. Algumas construções em estilo neoclássico possuem formas romanas e gregas da antiguidade, como o prédio da Prelazia, patrimônio histórico da capital roraimense. Não deixe de conhecer o Portal do Milênio, monumento construído no final da década de 90 para se comemorar a chegada dos anos 2000. O portal está localizado na Praça das Águas.

Mas Boa Vista é também porta de entrada para outros destinos turísticos do estado de Roraima, como o Monte Caburaí, no extremo norte do país. Já o Monte Roraima, próximo ao ponto setentrional extremo, está na fronteira com a Venezuela e fica a 300 km de Boa Vista. A entrada é permitida apenas pelo lado venezuelano e é necessário ter disposição para caminhar por pelo menos cinco dias para acessar a região. Sem dúvida, o estado mais remoto do país ainda tem muitos mistérios que os brasileiros ainda precisam desvendar.

Foto Boa Vista: jorgeBRAZIL no flickr

Autor: Caio Lima

Blogger na rede The Diktyo SL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *