Aproximadamente 155 milhões de passagens aéreas no Brasil somente em 2010

Viagens de avião ao exterior crescem 70%

A grande discussão sobre o atual caos dos aeroportos brasileiros é o aumento de passageiros que congestionou o pouco infra-estruturado sistema aeroportuário. A demanda por passagens aéreas internas aumenta consideravelmente diante o crescimento econômico que o país vive. Somente no ano passado foram mais de 155 milhões de passagens aéreas vendidas. utilizando aviões, um crescimento percentual de 20% bem considerável se for levado em conta o ano de 2009.

Entre as décadas de 70 e 80, andar de avião era considerado um luxo reservado a determinado público. Nos anos 90 aconteceu aumento de procura, fruto da efetivação do plano real e sua paridade com o dólar. O resultado disso, como muitos sabem, foi o crescimento econômico que vivemos na atualidade. Estima-se que somente nos últimos cinco anos os preços das passagens aéreas diminuíram em 50% (apesar do aumento de 50% dos últimos 12 meses).

Com o passar dos anos o Estado facilitou a legislação tarifária para estimular concorrência e oferta de preços, se esquecendo do investimento em infra-estrutura necessária para as novas super demandas. O Brasil cresce e as pessoas escolhem o avião como meio de transporte mais pela necessidade do que pela comodidade. O que antes era caro pelo preço agora se torna custoso pela alta demanda e pouca estrutura oferecida. A Infraero (administradora de 97% do trafego aéreo nacional) diz que investiu mais de seis bilhões de reais nos últimos anos em infra-estrutura, contudo, a ONG Contas Abertas contradiz veementemente o dado divulgado.

Na realidade todas as instituições responsáveis tentam passar a culpa do problema uma para outras. Não existe um culpado, todos precisam se unir apara trazer a solução. “Temos visto que o administrador do aeroporto culpa as empresas aéreas, que culpa a Polícia Federal, que culpa a ANVISA, que culpa a Receita; todos têm que ser parceiros e isso é muito importante principalmente pelo que nós temos pela frente com relação aos eventos internacionais”, afirma o professor de Transporte Aéreo da UFRJ, Respício do Espírito Santo.

“Nós precisamos acompanhar o crescimento da economia brasileira, o crescimento da distribuição de renda no Brasil, coisa que nós sempre estivemos sinalizando, sinalizando, e a infra-estrutura não acompanhou”, conclui o mestre Respício. Os aeroportos do país são constrangedores para qualquer tipo de turista, interno ou externo. A posição de oitava economia do mundo se encontra ameaçada diante a problemática do caos aeroportuário nacional.

Foto_ VitalyMSK no Flickr

Autor: Renato Duarte Plantier

Redator na rede de blogs The Diktyo SL. Coproprietário e Redator de blogs informativos em AsemioticanaWeb

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.