Os melhores eventos europeus

O continente Europeu oferece muitos eventos imperdíveis

O continente Europeu por si só já oferece uma vasta gama de opções de turismo. Lindas praias, cidades medievais, badalada vida noturna, rica e diversificada gastronomia, gélidas montanhas para esquiar, vasta oferta cultural, inúmeras opções de compras e etc. Mas e se, além de tudo isso, você ainda puder vivenciar um evento típico da região onde se encontra? Sem dúvida, ter a oportunidade de participar de uma experiência dessas torna a viagem muito mais interessante.

E então, está planejando uma viagem a Europa? Com base no guia “O melhor da Europa” da Editora Abril, confira abaixo alguns dos melhores festivais e eventos para ajudá-lo a programar a sua viagem.

Janeiro

Na encantadora cidade-luz Paris, acontece uma das festas de Réveillon mais bonitas do continente. Em um clima muito animado, diversas pessoas se aglomeram na chiquérrima Champs-Elysées, que se torna palco de um festival de fogos de artifício. Não muito distante, Edimburgo, capital da Escócia, também celebra a passagem do ano em grande estilo. Nessa incrível festa, conhecida pelos escoceses como Hogmanay, milhares de pessoas reúnem-se no belíssimo Castelo de Edimburgo para admirar os fogos de artifício. Outro interessante evento nesta época é o concerto de ano-novo da Orquestra Filarmônica de Viena. A cidade austríaca é uma das capitais culturais mais importantes do mundo e  é, muitas vezes, citada como a Cidade dos Músicos.

Os Carnavais de Veneza são muito divertidos

Fevereiro

Enquanto os brasileiros desfrutam as altas temperaturas desfilando em roupas minúsculas no Carnaval, os europeus são castigados com dias cinzentos de inverno. No entanto, isso não é motivo para não celebrar essa festa popular. Alguns dos Carnavais mais divertidos acontecem em Veneza, onde uma multidão de mascarados conquista as ruas, Sitges e Cádiz, ambas na Espanha. Nessa mesma época, Berlim abriga o seu Festival de Cinema, também chamado “Berlinale”. O festival foi inaugurado em 1951 por uma iniciativa dos Estados Unidos e os prêmios chamam-se Urso de Ouro e Urso de Prata, em homenagem ao símbolo da cidade.

Março

Além dos interessantes Festival de San Remo na Itália e do Festival da Primavera em Budapeste, Hungria, o continente também celebra um dos padroeiros da Irlanda, Saint Patrick. Nesta festa anual, geralmente comemorada no dia 17, a tradição é beber bastante cerveja e vestir-se de verde, em homenagem ao Santo que usava um trevo de três folhas para explicar sobre a trindade: Pai , Filho e Espírito Santo. A festa mais animada acontece, certamente, em Dublin, na Irlanda.

Abril

O mês que celebra a Semana Santa é, sem dúvida, repleto de festas religiosas, procissões e /ou rituais medievais. As mais conhecidas são as de Veneza e Roma, na Itália e Sevilha, na Espanha.

Maio

O verão se aproxima e os europeus se sentem na obrigação de aproveitar o clima. Na capital da República Tcheca, Praga, acontece o bonito Festival da Primavera, com música e performances e na França acontece o Festival de Cinema de Cannes, criado em 1946 e prestigiado a nível mundial. Em grande estilo, a Inglaterra oferece o Festival de Brighton, com variadas opções culturais ao longo do mês.

Junho

A moderna e inusitada capital catalã Barcelona é palco do Sonar, Festival Internacional de Música Avançada e Arte Multimídia. Diferentes formas de arte são expressas em vários pontos da cidade, alinhados as melhores baladas eletrônicas do mundo. Outras edições do Sonar são realizadas em São Paulo (11 e 12 de Maio/2012), Tókio (22 e 23 de Abril/2012) e Cape Town (2/Março/2012), mas a festa espanhola ainda é a mais importante e prestigiada.

Julho

Em um dos meses mais quentes do ano na Europa, é de se esperar que aconteçam inúmeros eventos, com festas para todos os públicos. Os dinamarqueses festejam o Festival de Roskilde, maior festa de Rock da Europa. Na Suíça, acontece o Festival de Montreux, renomada festa de jazz e reggae. Os touros “ficam a solta” na famosa Corrida de Touros em Pamplona, na Espanha, enquanto os cavalos competem entre si em uma das maiores corridas de cavalo do mundo, o Palio di Siena, na Itália. Há ainda o Festival de Salzburgo, na Áustria, com fantásticas apresentações de teatro e ópera. A França não fica por baixo e hospeda nada menos do que 3 eventos importantíssimos para o cenário mundial; são eles: a Comemoração da Queda da Bastilha, o Tour de France e o Festival de Avignon (com interessantes apresentações de teatro). No contexto da música eletrônica, em Berlim, Alemanha, milhares de pessoas dançam na Loveparade, e em Amsterdam, Holanda, uma multidão curte a gigante e animadíssima festa Sensation.

Agosto

Para se recuperar da enorme balada que acontece no mês anterior, os holandeses hospedam um festa de música clássica a beira dos seus lindos canais, o chamado Grachten Festival. Enquanto isso, Zurich, na Suíça, ainda se encontra em clima de música eletrônica e festeja com o Street Parade, onde milhares de pessoas saem as ruas para dançar ao som de importantes DJs. Na Itália, acontece a segunda fase do Palio de Siena. E nas últimas três semanas do mês, Edimburgo, na Escócia é palco de uma série de festas simultâneas de arte e cultura que reúne cerca de 1 milhão de pessoas. Criado no clima pós guerra de 1947, o intuito do Festival Internacional de Edimburgo era fomentar as boas intenções do espírito humano.

O Oktoberfest é uma boa opção para os amantes da cerveja

Setembro

Com cerca de 90% da população formada por católicos, em Portugal acontece a Romaria de Nossa Senhora de Nazaré. Em um contexto totalmente diferente, os alemães festejam e bebem bastante cerveja na animada Oktoberfest. A festa principal acontece em Munique, no estado na Baviera, sul da Alemanha e reúne cerca de seis milhões de pessoas. No entanto, devido a emigração dos alemães, a festa espalhou-se pelo globo e nos dias de hoje, diversos países curtem a sua própria Oktoberfest: Argentina, Estados Unidos, Itália, Hong Kong, entre outros. Em um dos países mais festeiros do mundo, o Brasil, a festa não poderia deixar de acontecer e é em Blumenau, Santa Catarina, que a comemoração acontece.

Outubro

Com importantes concertos, Praga, na República Tcheca, celebra o Festival de Outono. E, na Espanha, a cada dois anos, acontece a Bienal de Flamenco de Sevilha, com belíssimas apresentações desta modalidade de dança.

Novembro

Um dos maiores Festivais de Jazz do mundo ocorre no mês de Novembro, na linda capital alemã Berlim, onde importantes nomes do mundo da música se apresentam.

Dezembro

É nesse mês que acontece o Prêmio Nobel da Paz, em Oslo, Noruega. Legado do sueco Alfred Nobel, este prêmio visa nomear a pessoa ou organização que tiver feito a melhor ação pela paz e promoção dos tratados a este respeito entre as nações e ações pela extinção ou redução dos esforços de guerra. Este mês também celebra bonitas festas de Natal, sendo que algumas das mais interessantes são a de Estrasburgo, na França e a de Mainz, na Alemanha. Outra prática comum no continente nesta época do ano são os charmosos mercadinhos de Natal que acontecem em diversas cidades. Dentre os mais belos estão: o de Londres, Inglaterra (que acontece no Hyde Park), o de Bruxelas, Bélgica, o de Birmingham, na França e Cologne, na Alemanha.

Foto eventos europeus: turismoeuropa.org
Foto Carnavais Veneza de Laura Kvaternik
Foto Oktoberfest Munique: sanzar-mjt.blogspot.com

São Paulo, a metrópole que não pára

”São Paulo” – obra de Tarsila do Amaral

“São Paulo! comoção da minha vida…
Os meus amores são flores feitas de original…
Arlequinal!… Traje de losangos… Cinza e Ouro…
Luz e bruma… Forno e inverno morno…
Elegâncias sutis sem escândalos, sem ciúmes…
Perfumes de Paria… Arys!
Bofetadas líricas no Trianon… Algodoal!
São Paulo! comoção de minha vida…
Galicismo a berrar nos desertos da América!”

Bela e tresloucada, São Paulo já foi fonte de inspiração para artistas de diferentes tipos e vertentes. São escritores, fotógrafos, músicos, pintores e escultores que maravilhados com a grandeza da cidade, expressam o que ali sentem de diversas formas.  Em 1922, São Paulo foi palco da Semana de Arte Moderna, quando então foi lançada a famosa obra de Mario de Andrade “Paulicéia Desvairada” e de onde foi extraído o texto acima.

São Paulo é a cidade mais populosa do Brasil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). São cerca de 11 milhões de habitantes no município e se também considerarmos a região metropolitana, o número sobe para aproximadamente 19 milhões. São Paulo ainda é o foco da migração no país, recebendo todos aqueles que buscam um novo emprego,  uma nova condição sócio-econômica, nova carreira acadêmica, uma nova vida.

Trata-se da décima cidade mais rica do mundo e a expectativa é que em 2025, alcance a sexta posição. É o motor financeiro do país e é onde está localizada a terceira maior bolsa de valores do mundo (em valor de mercado) e a maior da América Latina, a Bovespa. É ainda sede de 17 dos 20 maiores bancos, sede de 100 das 200 empresas de tecnologia do país, é onde estão instaladas 63% das corporações internacionais e possui o maior e mais importante complexo hospitalar da América Latina, o Hospital das Clínicas.

São Paulo é uma cidade que recebe muito turismo de negócios

Sendo assim, não é de se espantar que a cidade seja mais marcada pelo turismo de negócios. A cidade é a capital sul-americana de feiras e business e, de acordo com o ICCA (International Congress & Convention Association) é o 12º melhor destino para eventos internacionais no mundo. Na cidade que possui o maior complexo de eventos da América do Sul – o Anhembi – e gigantes cadeias hoteleiras, cujo publico final é o corporativo, acontecem 75% das principais feiras do país, sendo que as mais importantes são o Salão do Automóvel, a Couromoda e a Francal. São realizados cerca de 90 mil eventos por ano, o equivalente a 1 evento a cada 6 minutos! Dentre os eventos mais importantes que a cidade oferece estão o Circuito de Interlagos e a São Paulo Fashion Week, garantindo à cidade o título de 8ª capital da moda mundial e a primeira da América Latina. Os setores que mais realizam eventos, respectivamente, são: médico, cientifico, tecnológico, industrial e educacional. Esse mercado definitivamente movimenta a economia da cidade, gerando mais ou menos R$ 2,9 bilhões de receita/ano e criando aproximadamente 500 mil empregos diretos e indiretos.

Entretanto, São Paulo também é conhecida pelo turismo cultural. Segundo o site de turismo da cidade, estamos falando de cerca de 160 teatros, 260 salas de cinema, 110 museus, 40 centros culturais, 2 iate clubes, 7 grandes casas de espetáculos, 290 salas para shows e concertos. A oferta cultural atende todos os tipos de gostos e poder aquisitivo. Não deixe de visitar o Teatro Municipal, a Sala São Paulo, o MASP, o Memorial da América Latina, o Museu do Ipiranga, a Catedral da Sé e o Pátio do Colégio, a famosa feira da Benedito Calixto, o Museu da Língua Portuguesa, a Casa das Rosas, a Av. Paulista, a luxuosa Rua Oscar Freire, o Planetário do Ibirapuera, o bairro da Liberdade,  a Galeria do Rock, a Estação da Luz e a Pinacoteca do Estado. Com tantas opções fica difícil entender o dito popular que diz que “shopping é praia de paulista”….

Teatro Municipal, São Paulo

Analisando algumas estatísticas do turismo em São Paulo (novamente segundo o site de turismo), vemos que “50% dos turistas vêm a negócios, 39% para participar de eventos e lazer, e o restante para tratar da saúde, fazer cursos ou ingressar nas faculdades, visitar parentes, etc. Dos turistas estrangeiros, a maioria é proveniente dos Estados Unidos, Argentina, Espanha e Itália. Os turistas nacionais vêm do Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre”.

A diversidade de culturas e raças misturadas em São Paulo permite que a cidade ofereça uma rica gastronomia, com mais de 50 tipos de culinária. São churrascarias, restaurantes italianos, tailandeses, japoneses, mexicanos, fast-foods, nordestinos, franceses e muitos outros, convivendo em perfeita harmonia. Em que outro lugar do mundo são feitas 720 pizzas por minuto?

Aqueles que imaginam São Paulo repleta de arranha-céus e pessoas apressadas, estão corretos. Mas a cidade não se resume a isso. Nela está a maior reserva florestal urbana do Brasil – o Parque Estadual da Cantareira – e existem cerca de 75 parques e zonas verdes, sendo que o Parque do Ibirapuera é o mais famoso.

Com tantas atribuições e lideranças, a cidade faz jus ao seu lema “Non dvcor; dvco” (Não sou conduzido, conduzo). Vale a pena uma visita a esta maravilhosa cidade, a fim de entender sua rotina incessante, os hábitos dos seus moradores e a diversidade cultural que ela oferece.

Leia mais sobre São Paulo:
Aproveite o melhor de São Paulo
Roteiro de compras por São Paulo

Foto São Paulo cidade negócios: fondosypantallas.com
Foto Teatro Municipal: prosaserisos.blogspot.com

Os encantos de Zurich

Zurich é um destino muito surpreendente

Famosa internacionalmente pelos seus bancos e serviços financeiros, Zurich revela-se um destino surpreendente a qualquer turista. É fato que, desde o final do século XX, Zurich representa o motor econômico e centro financeiro da Suíça. Nela estão localizadas cerca de 40 das 100 empresas mais importantes do país, especialmente bancos e companhias de seguros, como Credit Suisse, SwissRe, Zurich Financial Services e UBS. Mas os encantos da cidade vão muito além das formalidades do mercado financeiro. A cidade oferece uma rica gastronomia, uma extensa programação cultural, agitada vida noturna e uma variedade de lindas paisagens pitorescas e bucólicas.

Apesar da capital da Suíça ser Bern, o título de principal cidade do país é, merecidamente, dado a Zurich. A cidade está localizada no norte do país, próxima aos famosos Alpes,  e conta com aproximadamente 377 mil habitantes.  O idioma oficial de Zurich é o suíço-alemão, língua falada por cerca de 77.7 % da população suíça. Os outros idiomas oficiais do país são: francês (15.2%), italiano (6.5%) e romanche (0.6%). Mas não se preocupe, pois a maioria das pessoas fala fluentemente inglês e estão sempre  dispostas a fornecer informações.

Como não faz parte da Comunidade Européia, a Suíça não compartilha os benefícios da moeda única (Euro).  A moeda em vigor é o franco-suíço que equivale a, aproximadamente, R$ 1,89 ou € 0,83 (cotação segundo o Banco Central do Brasil em Março/2012) . Os estabelecimentos comerciais não aceitam pagamentos em dinheiro em outra moeda que não seja o franco-suíço, portanto, esteja preparado! Existem casas de cambio no aeroporto ou na estação principal de trem (Hauptbahnhof).

Transitar por Zurich, além de ser uma experiência prazerosa, é extremamente fácil. Esqueça o carro e desfrute a cidade a pé mesmo. Quando a distancia for um pouco maior, conte com os eficientes e pontuais trams (bondes). Há ainda a opção de percorrer a cidade em bicicleta: em alguns pontos da cidade é possível pegar uma gratuitamente!  Não é surpresa que, em 2011,  Zurich foi eleita a segunda cidade com melhor qualidade de vida do mundo,  de acordo com a renomada consultoria americana de Recursos Humanos Mercer. Ficou atrás apenas da encantadora Vienna.

Não obstante,  o charme da cidade vem aliado a elevados preços. Zurich é também a segunda cidade mais cara do globo, atrás apenas de Oslo na Noruega, segundo um estudo do UBS feito em 2011. E isso vale para tudo:  transporte,  comida, hospedagem, bens de consumo, etc. O estudo mostra que essas cidades têm os maiores níveis de custo de vida do mundo, mas também pagam os melhores salários .

Para os acostumados a rotina incessante de São Paulo e /ou às facilidades das outras cidades brasileiras, fique atento! O comércio em Zurich funciona de segunda a sábado, geralmente das 8h às 19h, ou seja, as lojas estão sempre fechadas aos domingos e isso inclui todos os supermercados e farmácias da cidade. Exceções são encontradas apenas no aeroporto e nas seguintes estações de trem: Hauptbahnhof, Enge e Stadelhofen.

Contrariando opiniões, Zurich também é movimentada pelo turismo. A cidade recebe anualmente cerca de 9 milhões de turistas, que gastam uma média de 400 franco-suíços diários. Isso certamente alavanca a economia e o setor turístico, que é o terceiro que mais gera recursos na cidade, com cerca de 4,5 milhões de franco-suíços ao ano. Para os que ainda tem dúvidas ou receios sobre os encantos dessa cidade, Zurich possui um rio onde é possível nadar no verão (Rio Limmat) contando com perfeita infra-estrutura: cadeiras, espreguiçadeiras, bar, banheiros, duchas e armários.  Com mais de 50 museus e 100 galerias, oferece opções culturais para todos os gostos. Há uma antiga área industrial onde restaurantes, bares e baladas convivem com armazéns e estaleiros desativados. E ainda possui um precioso lago de onde é possível ter vistas panorâmicas dos Alpes nevados no horizonte.

Uma vez em Zurich, não deixe de visitar:

Grossmünster: é a maior catedral e símbolo da cidade. Igreja de estilo românico, foi solicitada por Carlos Magno e simboliza a reforma protestante de Zurich, onde Ulrico Zwinglio foi nomeado sacerdote em 1519. Merecem destaque as suas 2 proeminentes torres gêmeas, de onde é possível ter uma bela vista da cidade.

Fraumünster: fundada no século 14 pelo neto de Carlos Magno, essa igreja já serviu de convento e foi o símbolo da aristocracia local no passado. Cinco lindos vitrais pintados por Marc Chagall, completam a magnitude do local.

St. Peter (Peterskirche): igreja mais antiga e uma das três mais importantes da cidade, possui o maior relógio em igreja da Europa (8.7m de diâmetro).

Landesmuseum (Museu Nacional Suíço): neste Castelo com mais de 100 anos estão situadas pecas chave sobre a história cultural da Suíça, desde a pré-história, passando pela Idade Média e até os dias de hoje.

Bahnhofstrasse: famosa rua de compras de Zurich, com marcas internacionais, jóias, relógios e artigos de luxo.

Kunsthaus Zurich: museu de arte com importante coleção de obras de arte de Monet, Picasso, Cézanne, Miró, Munch, e do escultor suíço Alberto Giacometti.

Cabaret Voltaire: famoso centro cultural e berço do dadaísmo. Em 1916, funcionava como club noturno e era ali que os artistas se reuniam para discutir sobre arte, poesia e qualquer outro tema relacionado a chamada arte de vanguarda.

Niederdorf: com mais de 2000 anos de historia e situado na parte velha da cidade, esse interessante lugar oferece restaurantes, lojas e bares.

Monte Uetliberg: pico mais alto da cidade, de onde é possível ter vistas privilegiadas da cidade, do lago e dos Alpes.

Confira mais destinos europeios:
Uma Lisboa moderna
Frankfurt, mais do que apenas um centro financeiro
Bucareste, a Paris ex-comunista do Leste Europeu

Foto de  Jacqueline Michelleto