Jamaica atrai simpatizantes do Reggae e impulsiona o setor do turismo

Reggae, Rastafáris e praias paradisíacas são as principais atracções turísticas na Jamaica

A cultura do Reggae, vinculada ao movimento religioso do Rastafári é, sem dúvida, um dos maiores motivos que levam turistas de todas as idades – especialmente os jovens – a visitar a Jamaica. No Museu Bob Marley, localizado em Kingston, a capital do país, o visitante encontra um rico acervo que conta a história do primeiro Pop-Star do Terceiro Mundo. A casa onde está sediado o Museu já foi residência e estúdio de gravação do cantor, na época em que Bob Marley integrava o grupo musical The Wailers.

A capital jamaicana também oferece opções de bares, restaurantes, casas noturnas e centros culturais. O clima urbano da região surpreende os turistas, que apenas associam a Jamaica às suas belezas naturais. É impossível conhecer a capital sem visitar o distrito de New Kingston, uma região que está se tornando o centro financeiro do país, com vários prédios de arquitetura moderna.

A segunda maior cidade do país é Montego Bay, localizada no litoral Norte do País. “Mo Bay”, como também é conhecida, possui inúmeras praias com águas azul-esverdeadas. O tradicional festival de Reggae Sum Fest acontece anualmente na cidade durante o mês de Agosto. Nas típicas feiras de artesanato da cidade, o visitante pode comprar pinturas, esculturas em madeira e roupas bem originais.

O Reggae é o estilo musical mais popular do país, imortalizado por Peter Tosh, Bunny Wailer, Wayne Wade e Bob Marley. Responsável por ter colocado a pequena Jamaica no mapa-múndi a partir dos anos 1970, o ritmo também é associado aos cabelos compridos com dreadlocks, um verdadeiro cartão postal. Os adeptos dessa cultura podem visitar o vilarejo onde nasceu Bob Marley, localizado em Nine Mile, na região central da ilha. É possível fazer passeios pela casa de Marley, acompanhados por guias rastafáris. O mausoléu onde o cantor está enterrado encontra-se no local.

O idioma oficial do povo jamaicano é o inglês, o que faz do país o terceiro maior anglófono das Américas, superado apenas por Estados Unidos e Canadá. Porém, o inglês jamaicano sofreu inúmeras influências de dialetos africanos, resultando em um modo de falar peculiar, conhecido como Patois. Para pessoas que visitam o país pela primeira vez, uma conversa pode ser incompreensível no início, mas depois fica fácil se acostumar com as gírias e expressões.

A pequena ilha da América Central também oferece as típicas belezas naturais do Caribe. O país, localizado ao sul de Cuba e a oeste da ilha de Hispaniola, tem praias paradisíacas com areia branca e águas cristalinas, cachoeiras, rios e montanhas cobertas por florestas tropicais. Isso torna a Jamaica um verdadeiro roteiro de aventura na natureza, com rafting nos rios e trilhas em meio às matas.

Foto: Ji Ka no Flickr

Autor: Caio Lima

Blogger na rede The Diktyo SL.

13 comentários em “Jamaica atrai simpatizantes do Reggae e impulsiona o setor do turismo”

  1. A JAMAICA É INCRÍVEL ! RICA EM PAISAGENS E CULTURA DIVERSIFICADA.PORÉM É BOM EVITAR ESTRADAS OU CAMINHAR SÓ EM LUGARES “DESERTOS “. ESPERO QUE HAJA MAIS INCENTIVOS PARA BRASILEIROS VISITAREM A JAMAICA, POIS ASSIM COMO CURAÇAO , AINDA É UM DESTINO CARO NO CARIBE,DIFERENTE DA REPÚBLICA DOMINICANA, POR EXEMPLO.

  2. Eu penso que Jamaica é incrível i muito rixa em paisagens.
    Jamaica foi dada ao mundo através da música do incomparável Bob Malrley, mito e música que faz você sonhar com a paisagem de seu país, sua ilha e seu povo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.