Nem só de política vive Brasília

Brasília, a capital do Brasil, e Patrimônio Histórico é Cultural da Humanidade
Brasília, a capital do Brasil, e Patrimônio Histórico é Cultural da Humanidade

Nomeada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, a cidade visa desmistificar a imagem única de centro político criada pela maioria dos brasileiros e mostrar que também oferece muitos outros atrativos.

 “Todo o Brasil vibrou
e nova luz brilhou
quando Brasília fez maior a sua glória
com esperança e fé
era o gigante em pé,
vendo raiar outra alvorada
em sua História
Com Brasília no coração
epopeia a surgir do chão
o candango sorri feliz
símbolo da força de um país!
Capital de um Brasil audaz
bom na luta e melhor na paz
salve o povo que assim te quis
símbolo da força de um país!”
Hino (oficial) a Brasília – Geir Campos

A criação da cidade de Brasília remonta ao ano de 1823, quando José Bonifácio de Andrade e Silva, o Patriarca da Independência, propôs a construção de uma nova capital do Brasil, localizada preferencialmente no interior do país, longe dos portos, para garantir a segurança da nação. No entanto, foi somente em 1956, ainda durante o governo do presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, que as construções foram iniciadas. Foi delimitada uma área de 50 mil quilômetros quadrados, onde atualmente encontra-se o Distrito Federal. O governo lançou então o edital do Concurso Público para a construção do Plano Piloto. Segundo a Administração Regional de Brasília, “Lúcio Costa foi o vencedor do projeto urbanístico (que partiu do traçado de dois eixos cruzando em ângulo reto como o sinal da cruz. Um destes eixos leva às áreas residenciais, sendo levemente inclinado, dando à cruz a forma de um avião; o outro denominado Monumental, com 16 Km de extensão, abriga os prédios públicos e os palácios do Governo Federal no lado leste; no centro a rodoviária e a torre de TV e no lado oeste os prédios do Governo do Distrito Federal) e Oscar Niemeyer o autor dos principais projetos arquitetônicos da cidade. (…) Brasília é formada pela Asa Norte, Asa Sul, Setor Militar Urbano, Setor de Garagens e Oficinas, Setor de Indústrias Gráficas, Área de Camping, Eixo Monumental, Esplanada dos Ministérios, Setor de Embaixadas Sul e Norte, Vila Planalto, Granja do Torto, Vila Telebrasília e Setor de áreas Isoladas Norte.

E assim foi criada a terceira capital do Brasil (após Salvador e Rio de Janeiro) e sede do Distrito Federal. Nela estão localizadas as sedes dos três poderes da República: Executivo, Legislativo e Judiciário. De acordo com o censo demográfico do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a população em 2010 superava os 2.500.000 habitantes, classificando, assim, a capital do Brasil como a quarta cidade brasileira mais populosa.

Congresso Nacional do Brasil, projetado por Oscar Niemeyer
Congresso Nacional do Brasil, projetado por Oscar Niemeyer

Além de ser o centro político, Brasília é um importante centro econômico para o país.  Trata-se da terceira cidade mais rica do Brasil, responsável por 3,75% de todo o PIB brasileiro (Produto Interno Bruto). Foi também classificada pela consultoria Mercer como a trigésima terceira cidade mais cara do mundo, atrás de Nova Iorque. Apesar da principal atividade econômica da capital federal estar diretamente ligada a sua função administrativa, a construção civil e o comércio representam importantes bases para a economia da região. O Governo de Brasília visa preservar o patrimônio da cidade com ênfase na preservação ambiental e, por isso, incentiva o desenvolvimento de indústrias não poluentes de diferentes ramos, como por exemplo a de software e do cinema.

A nível nacional, Brasília é também associada a grandes nomes da música. No início dos anos 80, diversas bandas de rock como Capital Inicial e Legião Urbana despontaram no cenário brasileiro. Alguns anos mais tarde, bandas como Raimundos e Natiruts tornaram-se sucesso absoluto. Nos dias de hoje, Brasília oferece, entre outras coisas, muitas opções culturais e eventos relacionados a música. Dentre eles, merecem ser citados o Festival Porão do Rock,  que tem como objetivo revelar novos talentos, e o Brasília Music Festival.

Em 7 de Dezembro de 1987, a cidade foi tombada pela Unesco como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, o que representa uma honra para todos os brasilienses já que este é o único monumento arquitetônico com menos de cem anos a receber este título.  Ao contrário do que pensam muitos brasileiros, esta maravilhosa cidade também é movimentada pelo turismo: cerca de um milhão de visitantes vão a Brasília a cada ano. Muitos vão em busca do chamado turismo cívico, valorizado por localizarem-se na capital do Brasil os órgãos governamentais da administração e os três poderes republicanos. Outros vão em busca de turismo histórico e se surpreendem quando percebem que também são resgatados fatos e locais anteriores a 1960, como por exemplo a Estrada Geral do Sertão, aberta em 1736 para unir a cidade de Salvador a Vila Bela, antiga capital do Mato Grosso.

O dia 12 de Dezembro de 2007 simboliza uma data inesquecível para a cidade. Foi neste dia que, em Barcelona, Espanha um comitê chamado “Bureau Internacional de Capitais Culturais” se reuniu e concedeu a Brasília o título de Capital Americana da Cultura para o ano de 2008. O comitê também realizou uma votação popular que elegeu as sete maravilhas do Patrimônio Cultural Material de Brasília. São eles: a Catedral, o Congresso Nacional, o Palácio da Alvorada, o Palácio do Planalto, o Templo da Boa Vontade, o Santuário Dom Bosco e a Ponte JK , premiada a nível internacional pela sua impressionante arquitetura.

Ponte Juscelino Kubitschek do Brasilia
Ponte Juscelino Kubitschek do Brasilia

Outros pontos turísticos visitados e imperdíveis para quem visita esta bela cidade são: a residência oficial da Presidência da República, a sede do Poder Executivo brasileiro, a Praça dos Três Poderes, o Catetinho (primeira residência oficial do presidente Juscelino Kubitschek), a Torre de TV, o Memorial JK, o Panteão da Pátria, o Teatro Nacional Cláudio Santoro e o Museu Vivo da Memória Candanga. E segundo notícias recém publicadas, a capital do Brasil conta com um novo ponto turístico. Mais uma obra do mestre Oscar Niemeyer, trata-se de uma torre de 185 metros que garantirá a transmissão do sinal digital no Distrito Federal e também possibilitará uma visão panorâmica de todos os pontos de Brasília.  A Torre Digital, como é chamada, é um novo mirante com capacidade de 75 pessoas para observação visual e já está aberta para visitação do público.

Em meio a modernos edifícios e surpreendente arquitetura, a capital federal conta também com diversas áreas verdes, como por exemplo o Parque da Cidade Sarah Kubitschek, o Parque Nacional de Brasília e o Jardim Botânico. Oferece também opções de ecoturismo, já que está localizada a 1000 metros acima do nível do mar, no Planalto Central, de onde nascem a maioria das grandes bacias hidrográficas brasileiras. E, para os que buscam a paz interior e a elevação do espírito, Brasília é também procurada por suas comunidades espiritualistas localizadas nos arredores, como a Cidade da Paz e o Vale do Amanhecer, em Platina. Existem também modernos templos religiosos muito apreciados, como o Templo da Boa Vontade da LBV (Legião da Boa Vontade).

Com opções de turismo, cultura, eventos e lazer tão variadas podemos sim afirmar que Brasília é muito mais que política!

Foto: movidabrasilena.blogspot.com.es
Foto 2: Alex Barth no flickr
Foto 3: mundodaspontes.blogspot.com.es

Autor: Jacqueline Michelleto

Profissional da área de Corporate Finance com experiência internacional.Mestre em Business Intelligence pelo INSA Business School – Barcelona / Espanha.Administradora de empresas

2 comentários em “Nem só de política vive Brasília”

  1. Excelente explanaçâo e dicas sobre a cidade que pretendo visitar…. Sabe que nem tinha tanto interesse mas com o teu texo me despertou a vontade de conhecer a cidade. Parabéns ¡¡¡ Trabalho serio é de fácil entendimento.

  2. No ano de seu nascimento, apenas 140.000 pessoas tinham decidido levar a sua vida em Brasília. Hoje existem mais de 2.600.000 pessoas na capital, um décimo dos quais trabalham para o Governo ou o Distrito Federal. E entre todos os funcionários ou não, o PIB médio per capita muito maior do que todo o país: 40.696 contra 16.400 reais (23,225 para 9.360 dólares).

    No entanto, a cidade declarada Patrimônio da Humanidade em 1987 está longe de ser idílico projeto original que visava torná-lo um lugar sem divisão entre as classes. Isso é mostrado por relatórios oficiais que vêm à tona as diferenças significativas que separam, por exemplo, o bairro de elite de South Lake, com renda familiar equivalente a 20 salários mínimos, e as regiões pobres Itapoã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *