Paraíso montanhoso em tríplice Fronteira

Imagem do Parque Nacional do Itatiaia, no Rio de Janeiro

Em plena Serra da Mantiqueira, região fluminense conhecida amplamente por altas temperaturas, está o tão formoso Parque Nacional do Itatiaia – simplesmente a região preservada mais antiga em terras tropicais – que abrange também parte dos Estados de São Paulo e Minas Gerais. Uma grande chance para quem almejar curtir um clima alpino neste país onde este ambiente é bastante escasso. Quem iria pensar que a neve por vezes pinta de branco algumas das magníficas cadeias serranas cariocas…

É possível chegar ao local utilizando a famosa via Dutra, uma das mais famosas, movimentas e importantes do Brasil. Contudo, o Rio possui maior número de acessos qualitativos.

Há mais de 2.000m, a visão panorâmica é simplesmente singular.  A biodiversidade da Mata Atlântica é facilmente notada interiormente. Existe bastante variação de picos rochosos altos e onipresentes nos belos campos de alta atitude.

Quem sobe via vale do Paraíba encontra maior variação de ecossistema, uma rica fauna e flora. Existe uma grande diversidade de trilhas, cachoeiras e matas com imensa variedade de espécies. Os amantes de escaladas também encontram diversas vias à prática do esporte.

Os visitantes devem analisar qual é a melhor estação do ano para visitar o Parque:

Primavera/verão: Existem variadas chuvas de diversas dimensões bastante constantes na região. O calor é intenso e viabiliza banhos de cachoeiras, sendo que as mesmas contam com bastante fluxo pela água que sai da chuva com abundância. A visão panorâmica permite reconhecer uma fauna verdejante e abundante. Contudo, é necessário ficar bem atento quanto às tempestades elétricas que ocorrem na parte superior.

Outono/inverno: Com frio intenso a temporada de montanhismo fica altamente incentivada. Pouca chuva e mais caminhos secos rodeados por vegetação amarela. As cachoeiras e rios ficam quase congelados. Neste mês de julho a temperatura já bateu a casa de -5°C. Houve até mesmo registro de uma grande nevasca ocorrida no ano de 1985 – recorde de gelo no Rio de Janeiro até então.

Em contrapartida as geadas acontecem em todos os dias designativos de líquidos convertidos com o sólido. Todavia, percebe-se que o sol da manhã é ainda forte e não pode ser subestimado, conforme o dia passa a temperatura cai consideravelmente. 

O local passou por uma franca vistoria e a clássica travessia do Parque, via Rebouças, está reaberta, o que certamente irá atrair mais turistas. Porém, existe certo limite de veículos diários a partir da portaria três, bem como no número de pessoas que podem passar a noite no local. Ressalta-se aos campistas que fogueira é estritamente proibida. Nas duas opções é necessário reserva prévia.

Entrada: R$ 10.

Contato: 0/XX/24/3352-1461

Foto: Daniel Pascoal no Flickr 

Autor: Renato Duarte Plantier

Redator na rede de blogs The Diktyo SL. Coproprietário e Redator de blogs informativos em AsemioticanaWeb

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.