Rio Branco, desconhecida e atraente

Rio Branco, no estado do Acre, tem muito a oferecer aos visitantes

A capital mais ocidental do Brasil é também um dos destinos menos procurados por turistas. Apesar disso, a cidade de Rio Branco, no estado do Acre, tem muito a oferecer. Nos últimos anos, os governos estaduais e municipais e a iniciativa privada têm investido em obras de revitalização das diversas construções históricas da cidade. Novos centros culturais e, espaços de lazer surgem a cada dia na capital acreana. Mas, os próprios brasileiros ainda não têm uma verdadeira noção do que significa visitar este lugar. Rio Branco guarda aspectos importantíssimos da história do norte do Brasil. Desde os tempos da extração da borracha, o desbravamento da selva por migrantes nordestinos e sulistas, até a saga de Chico Mendes (1944-1988), que lutou até a morte pela preservação do meio ambiente e pela integração dos povos amazônicos. Por isso e muito mais, é interessante conhecer esta cidade.

Vale a pena conhecer o Memorial dos Autonomistas, cujo acervo reúne fotos, quadros e esculturas que relatam a história de um povo que lutou para ser brasileiro. Até o início do século XX, a região pertencia à Bolívia, embora fosse ocupada majoritariamente ocupada por brasileiros. Os conflitos armados entre a elite regional brasileira e o governo boliviano durante Revolução Acreana resultou na criação do Estado Independente do Acre, em 1903. Anexado ao Brasil, o território foi elevado à categoria de estado em 15 de Junho de 1962.

Para os interessados na história do ativista ambiental Chico Mendes, a dica é estender o passeio até a cidade de Xapuri, a 188 Km da capital. Neste município, é possível conhecer a casa de Chico Mendes, que ainda preserva suas características originais.

A Biblioteca da Floresta Ministra Marina Silva conta com um acervo que preserva a identidade dos povos indígenas, seringueiros nordestinos e comerciantes do Oriente Médio que ocuparam o território ao longo de sua formação histórica. Já a antiga área portuária (Calçadão da Gameleira) passou por um processo de reurbanização e atrai cada vez mais visitantes. As construções históricas dos séculos XIX e XX foram revitalizadas e transformadas em bares, centros culturais e restaurantes. A região é o principal ponto de badalação noturna de Rio Branco. Não deixe também de tirar uma foto na Passarela Joaquim Macedo, principal cartão postal da cidade.

Esta área do país, ainda desconhecida pela maioria da população brasileira, preserva 90% de suas florestas e está na região de maior biodiversidade do planeta. Rio Branco também é porta de entrada para a região andina da Bolívia e do Peru. Sem dúvida, é um lugar que merece toda a atenção do povo brasileiro.

Foto: Agencia de Noticias do Acre no Flickr 

Autor: Caio Lima

Blogger na rede The Diktyo SL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.