Warning: call_user_func_array() expects parameter 1 to be a valid callback, class 'adsenseib30_textInHome' not found in /home/customer/www/viagemhoje.com/public_html/wp-includes/class-wp-hook.php on line 307

Embu das Artes, um celeiro de criatividade

Embu das artes, uma cidade muito criativa

A Região Metropolitana de São Paulo reserva atrações de todos os tipos. Um dos lugares mais interessantes dessa selva de pedra é a cidade de Embu das Artes, localizada a 30 quilômetros do centro da capital paulista. O local atrai mais de 20 mil pessoas por fim de semana. Fazendo jus ao nome, o município é reduto de poetas, músicos, escultores, pintores e dançarinos. No centro histórico de Embu concentram-se as principais atrações, além de ser a principal vitrine para estátuas, versos, literatura geral, músicas e quadros. A dica é levar uma quantidade mínima de dinheiro para levar para casa uma lembrancinha das inúmeras barracas de artesanato. Esta simpática cidade de aproximadamente 260 mil habitantes ganhou sua vocação para as artes no século 16, com os jesuítas que catequizavam os índios e esculpiam imagens católicas para o acervo das sacristias locais.

A cena artística de Embu já é bastante tradicional. No início do século passado, a cidade atraía artistas renomados da época, como Cássio MzBoy, amigo de importantes nomes do modernismo brasileiro dos anos 20, como Tarsila do Amaral e Anita Malfatti. Com o passar do tempo, o movimento se sofisticou e eventos tradicionais, como o Salão de Artes Plásticas de Embu, surgiram na cidade. Não deixe de conhecer o Conjunto Jesuítico, construído no começo do século 18 para abrigar a ordem religiosa. Atualmente, os visitantes podem conhecer o Museu de Arte Sacra, situado no complexo. Nas proximidades do Conjunto Jesuítico, está uma das principais feiras de artesanatos do país, com mais de 500 expositores, além de ateliês e museus situados em construções antigas do centro histórico. O local é perfeito para comprar pinturas, roupas, porcelanas, plantas, flores, móveis rústicos etc. A Feira de Artes e Artesanato foi criada em 1969 e hoje é símbolo da cidade.

A arte indígena também é forte em Embu das Artes. No Museu do Índio, as pessoas podem conhecer um grande acervo de objetos usados em tribos de todo o Brasil. O local é aberto de terça a domingo, das 10h às 18h. Já no Memorial Sakai, as belas esculturas em terracota, produzidas pelo artista japonês Tadakio Sakai, encantam os turistas. Outros lugares interessantes para serem visitados é o Parque do Lago Francisco Rizzo e o Parque Ecológico Cidade das Abelhas, onde é possível conhecer a arte da apicultura.

Para chegar à cidade de carro, o melhor caminho é pela rodovia Régis Bittencourt (BR-116), sentido Curitiba, no km 279. Esta estrada pode ser acessada pelo trecho oeste do Rodoanel ou pela Marginal Pinheiros. Alguns ônibus com destino ao centro de Embu também saem de alguns lugares da capital, como o Largo das Batatas e na estação do metrô Campo Limpo, da linha lilás.

Foto Embu das Artes: apoiopontual.com.br

Barretos, a capital country do Brasil

Barretos é a capital country

Com população de aproximadamente 110 mil habitantes, Barretos vê essa quantidade de gente se multiplicar com a vinda de turistas, principalmente no mês de agosto, durante a Festa do Peão de Boiadeiro. Durante o maior evento de rodeio da América Latina, a cidade chega a receber mais de um milhão de visitantes. Localizada a 420 km de São Paulo, a capital do country está no interior paulista, no norte do estado. Não é à toa que Barretos é um dos principais pólos da indústria agropecuária brasileira.

Não deixe de conhecer o Parque do Peão, onde é possível ter idéia da grandiosidade do evento que atrai milhares de pessoas para Barretos no oitavo mês do ano. É possível acessar todas as áreas, embora alguns espaços fiquem fechados nos períodos em que não ocorre a Festa do Peão. No Memorial do Peão de Boiadeiro, localizado dentro do parque, é possível conhecer a história da festa e de seu fundador, o Clube “Os Independentes”. Para homenagear a primeira festa do peão, que aconteceu nos anos 1950, o memorial foi construído em formato de lona de circo para reproduzir o modo como era o espetáculo nos primórdios. Apesar da importância desse evento, é um equívoco achar que a única razão para visitar Barretos seja apenas essa. Nos outros meses do ano, o município paulista propicia outras atrações interessantes para os visitantes. Não dá para passar por essa cidade sem comprar um chapéu de cowboy. Faz parte do “ritual” para que os turistas se sintam em casa, além de ser uma ótima maneira de se proteger do sol escaldante característico da região. O clima country em Barretos é tão marcante que até as cabines de telefone público têm forma de chapéus.

Passear pelas ruas dessa cidade requer um pouco de resistência física e um bom par de tênis. O calor no interior paulista costuma ser intenso, inclusive no inverno. Os principais pontos turísticos estão localizados nas proximidades da Praça Francisco Barreto, como a Catedral do Divino Espírito Santo. No calçadão, as pessoas encontrarão quiosques, lojas, bancos, sorveterias – é necessário num lugar tão quente – dentre outros estabelecimentos. O ambiente de cidade de interior é marca registrada na cidade. A dica é sentir esse clima e a simplicidade das pessoas na Praça da Primavera, com um projeto paisagístico muito bonito e um ar de tranqüilidade.

Vale a pena conhecer também a Estação Ferroviária de Cultura, atualmente desativada, usada apenas para contar a história da cidade. Outro lugar interessante para se conhecer é a Região dos Lagos, constituída por quatro reservatórios abastecidos pelo Córrego do Aleixo. O lugar é tranqüilo e oferece ciclovias e espaços para a prática esportiva.

Foto Barretos: verfotosde.org

Clima europeu e badalação atraem visitantes de todo o Brasil a Campos do Jordão

Campos do Jordão atrae com clima europeu

A cadeia montanhosa da Serra da Mantiqueira, que ocupa os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, está repleta de cidades com potencial turístico. Campos do Jordão, no território paulista, é uma delas. Situada a cerca de 1700 metros de altitude, o clima do município é ameno no verão e rigorosamente frio no inverno para os padrões brasileiros. A maior concentração de turistas que a cidade recebe se dá nos meses de junho, julho e agosto, época em que as temperaturas da região podem chegar a níveis abaixo de zero grau. Geadas são comuns durante o inverno, que também é a época em que acontecem os principais eventos da cidade, como o Festival de Inverno de Campos do Jordão. Várias apresentações de música erudita tomam conta da cidade durante esse período.

Para quem anda pelas ruas da cidade, a sensação é a de estar em algum país europeu. O estilo alpino da arquitetura das construções já rendeu à cidade o apelido de “Suíça Brasileira”. A Vila Capivari, na região central, possui inúmeras lojas especializadas em malhas, artesanato e chocolates caseiros, bares, praças e restaurantes. A gastronomia da cidade também um dos pontos fortes, com estabelecimentos especializados em pratos franco-suíços, portugueses, espanhóis, massas italianas e churrascarias. Vinhos e cervejas de ótima qualidade podem ser encontrados em vários pontos.

O morro do Elefante Branco é um dos principais pontos turísticos da cidade. O cume da montanha alcança a altura de 1800 metros acima do nível do mar e pode ser acessado de teleférico, cujo preço do passeio é 10 reais. Do alto, a vista panorâmica tira o fôlego de qualquer pessoa. Localizada numa área de relevo acidentado e com o predomínio de Araucárias na vegetação, a paisagem natural de Campos do Jordão também é um ótimo atrativo para os amantes do turismo ecológico. Existem vários locais apropriados para a prática de arvorismo, pesca, passeio a cavalo, trilhas em meio às florestas, dentre outras modalidades.

Visitar a Pedra do Baú também é uma ótima dica. Já do alto do Pico do Itapeva, é possível avistar inúmeras cidades do Vale do Paraíba paulista, como São José dos Campos, Taubaté, Pindamonhangaba, Aparecida, Caçapava etc. Passear de trem pela região é um dos roteiros mais charmosos que há na região. Pela antiga ferrovia, principal via de acesso a Campos do Jordão até a década de 1970, é possível percorrer um trecho de quatro quilômetros de Maria Fumaça.

Muita gente visita a cidade durante o verão. Nessa época do ano, as atrações de Campos ficam menos disputadas e mais baratas. O município conta com uma excelente infra-estrutura, com cerca de 8000 leitos em hotéis e pousadas a preços acessíveis.

Foto Campos do Jordão: tripadvisor.com.ar