Nas ladeiras de Olinda

Olinda oferece belas paisagens e muito artesanato local

Olinda foi a primeira capital do estado de Pernambuco, localizada em seu litoral conta com muitas ladeiras que oferecem vistas únicas de sua vizinha Recife com lindas paisagens para admirar durante todo o ano. O povo hospitaleiro nas pequenas lojas e feiras da cidade dão o tom em cada esquina oferecendo produtos locais de beleza única. Olinda torna-se assim passagem obrigatória para quem vai à Pernambuco.

Como os turistas normalmente vem do Recife a primeira parada sem dúvida é a Praça do Carmo, lá é possível ver uma das muitas igrejas de Olinda e ainda conseguir guias e informações turísticas, mapa da cidade, entre outras informações. Apesar de suas ladeiras amedrontarem um pouco o turista de primeira viagem, é possível realizar a visita a cidade sem o auxílio de um guia, que sempre cobram pequenos valores (de R$20,00 a R$30,00 por grupo), porém eles oferecem certa segurança e comodidade. Caso opte pela visita sem um guia trace seu caminho pelo mapa onde pode passar pelos pontos turísticos que mais combinem com seu roteiro (todas essas informações, assim como o mapa, podem ser conseguidos no centro de informações turísticas sem custo nenhum).

O roteiro por Olinda contará com visitas a igrejas, como a igreja mais antiga do Brasil, e a museus, como o de arte sacra, tornando-se um roteiro histórico arquitetônico de muita beleza. Mas isso não é tudo que se pode ver em Olinda, ao subir cada uma de suas ladeiras irá se deparar com paisagens paradisíacas, nas quais o mar de um tom azul único parece se unir ao céu, além das paisagens urbanas da capital e vizinha Recife. Um dos pontos turísticos que apresenta uma oportunidade para belíssimas fotos da paisagem é a Praça da Sé, de lá é possível avistar quase toda a cidade do Recife e ter uma visão privilegiada da própria Olinda.

Entre suas praças, igrejas e ladeiras, Olinda apresenta também um de seus maiores tesouros: o artesanato local. É possível encontrar em Olinda, assim como em outras localidades do nordeste, produtos não vistos em outras regiões do país com tamanha facilidade, como é o caso das rendas. As principais rendas vendidas em Olinda são a filé, a renascença e a de bilro. Com as rendas a criatividade das artesãs locais vai longe, sendo possível encontrar de toalhas a roupas feitas de uma mesma renda. A única ressalva que aqui se faz é a diferença de preços existentes entre produtos feitos com os diferentes tipos de renda, isso pois elas se diferem na técnica e assim no tempo de execução, tendo algumas peças levado 3 anos para ficarem prontas.

Dessa forma quem optar por conhecer Olinda fora da época de festas populares como o carnaval não se arrependerá e com certeza trará na bagagem muitas lembranças.

Foto Olinda: absolut-brasil.com

Paisagem tropical de Olinda se mistura com construções do período colonial

Vista aérea da praia de Olinda

Do alto da Igreja da Sé, a paisagem encantadora mistura o antigo, o moderno e os elementos da natureza: Coqueiros, casas coloridas, construções históricas, praias de areia branca e águas cristalinas e a silhueta dos arranha-céus modernos de Recife ao fundo. Isso é apenas uma das várias maravilhas que o município de Olinda oferece aos turistas. Localizada no estado de Pernambuco, na região metropolitana de Recife, Olinda é uma das mais bem preservadas cidades coloniais do Brasil. Fundada em 1535, já foi capital pernambucana, além de ser uma das mais antigas cidades brasileiras. Olinda é também considerada Patrimônio Cultural da Humanidade desde 1982.

Dada a proximidade, é perfeitamente possível hospedar-se em Recife e visitar Olinda, ou vice-versa.  Embora possua uma menor área territorial, Olinda oferece uma boa variedade de hotéis, pousadas e restaurantes para atender o fluxo turístico. Ao contrário da capital Recife, que possui um relevo plano, a cidade de Olinda tem vários morros, principalmente na região do Centro Histórico. Por isso, caminhar pelas ladeiras históricas olindenses pode ser um passeio cansativo por causa das subidas íngremes. Mas vale a pena o esforço. A paisagem vista dos pontos mais altos é de tirar o fôlego de qualquer pessoa.

O primeiro prédio da Igreja da Sé foi construído entre 1537 e 1540 para homenagear Jesus Cristo. Com as invasões holandesas e os conseqüentes incêndios que atingiram a cidade, a Igreja foi destruída em 1631. No entanto, o prédio foi reconstruído na segunda metade do século XVII. Atualmente, o local é o principal cartão postal de Olinda. O complexo arquitetônico da Igreja e do Mosteiro de São Bento também é outro ponto turístico que merece uma visita. No interior do local, o altar-mor se destaca pelas esculturas em madeira de cedro folheadas a ouro, construídos em meados de 1770. Ótimas dicas de passeio estão no Convento de São Bento, com seus típicos azulejos coloniais portugueses no interior e o Museu do Mamulengo, cujo acervo conta com mais de 1500 bonecos. O museu conta a história da cultura popular dos teatros de fantoches.

O traçado medieval e irregular das ruas e as construções de influência da arquitetura religiosa são as principais marcas registradas da cidade. Os casarões coloridos e as ladeiras repletas de barracas de artesanato nos arredores fazem de Olinda um dos lugares mais charmosos do Brasil. A badalação é garantida para quem visita a cidade durante o carnaval. Não há desfiles planejados, como no Rio e em São Paulo, nem trios elétricos, como em Salvador. O carnaval de Olinda é conduzido pelo povo, que toma conta das ruas da cidade com os tradicionais bonecos gigantes. E tudo isso ao som e ao ritmo do frevo e do maracatu.

O clima tropical da região é um convite para as praias de águas que misturam tonalidades verdes e azuis. As praias de Olinda são urbanizadas, mas não indicadas para banhos. Nesse caso, a dica é se dirigir a capital do estado, Recife. A Praia de Boa Viagem é uma das mais famosas do Brasil.

Foto: plantlife2008 no Flickr