Warning: call_user_func_array() expects parameter 1 to be a valid callback, class 'adsenseib30_textInHome' not found in /home/customer/www/viagemhoje.com/public_html/wp-includes/class-wp-hook.php on line 307

Dicas de segurança para trilhas

Fazer trilhas com segurança
Fazer trilhas com segurança
Fazer trilhas no Brasil é sempre uma atividade prazerosa, seja pela alta diversidade de níveis que demandam condicionamento físico excelente, ou em consequência das visões paradisíacas que trazem ampla variedade de cacheiras e cavernas que tornam o ambiente com aquele toque de autêntico espírito de aventura. No entanto, é necessário levar alguns cuidados em consideração antes de entrar floresta adentro. Conheça dicas de segurança para fazer trilhas.

Como andar na trilha com segurança?

Existem trilhas nas quais é proibida a presença de motos. Isso porque os habitats podem ficar afetados com o barulho dos motores. Os solos também podem ficar prejudicados de maneira considerável. Caso seja possível é necessário fazer o tráfego com alguém na garupa, se lembre de que as estradas estão cada vez mais perigosas em qualquer região do país. Interessante ainda andar com grandes grupos, mas escolha um pessoal disposto a fazer a trilha e não em bagunçar.

São necessários guias para fazer trilha com segurança?

Sim, principalmente nos locais que foram explorados poucas vezes pelos aventureiros. Especialistas atestam que apenas após longos anos fazendo o mesmo trajeto é possível se aventurar sozinho. Isso acontece não apenas pelo alto risco de ficar perdido, como também pelos animais presentes no local, que podem ser perigosos com contato humano despreparado. No norte do país existem tribos de indígenas que nunca estiveram em contato direto com a vida metropolitana, são exemplos de locais que demandam guias.

Responsabilidade pela Segurança

Não é necessário se arriscar sem necessidade. Salvar pessoas dentro da mata é custoso em dinheiro e na natureza que fica abalada com a presença de helicópteros e outros tipos de aportes ao resgate. Dependendo da situação podem ser levados alguns dias concentrando força de bombeiros e policiais que poderiam resolver outros problemas.

Necessário fazer o cálculo do tempo gasto para completar o roteiro, que por sua vez também não pode ser modificado. Interessante ainda levar celulares carregados, de preferência com operadoras diferentes. Em caso de imprevistos se faz necessário não ter pressa. Se lembre de que este é um passeio e os apreçados correm riscos de contusões durante o trajeto.

Informe para a administração da zona da trilha todos os números informativos requisitados, desde número de participantes até o nível de experiência. Informações que são consideradas úteis nos casos de resgate.

Rompe a barreira de inimizades com policiais, podem ser úteis para informar as condições da estrada e proteger os motociclistas nas idas e vindas da trilha. Por fim, não consuma nenhum produto da floresta desconhecido e utilize equipamento indicado conforme cada situação.

Leia mais

Foto: aquabikeaventuras.blogspot.com

Errata: Aventura off-road pela Serra da Canastra

Parque Nacional Serra da Canastra
Parque Nacional Serra da Canastra

Na matéria “Aventura off-road pela Serra da Canastra”, dissemos que os focos de incêndio na região são comuns no inverno, mas eles ocorrem na primavera. E a segunda foto presente no texto é a da cachoeira Casca D’Anta, localizada no distrito de São José do Barreiro, em Minas Gerais.

A cidade e o distrito mais próximos da Serra da Canastra são São Roque de Minas e São João Batista, respectivamente. Eles são uma das principais referências para se chegar ao destino. Para quem está vindo de Belo Horizonte, São Paulo ou Rio de Janeiro o ideal é pegar a rodovia MG 050 até chegar à cidade de Piumhi. Depois deve pegar o primeiro trevo e seguir até São Roque de Minas, que está no caminho para a Serra da Canastra.

Para quem sai do Triângulo Mineiro – de cidades como Uberaba, Uberlândia e Araxá –  podem passar pela cidade de Sacramento, que também é caminho até a Serra da Canastra. Outra alternativa é  pegar a BR 262 (Uberaba – Belo Horizonte), passar pela cidade da Estalagem, seguir pela BR 354 até passar pelo Bambuí, e depois por São Roque de Minas.

A parte mais alta da chapada da Canastra não é plana e possui uma das cachoeiras mais belas da região: é a cachoeira Rasga-Canga. De água fria e transparente, a cachoeira tem cerca de seis metros de altura e está dentro do Parque Nacional da Serra da Canastra. Umas das principais atrações da região são as cachoeiras, que são acessíveis por qualquer veículo.

Fontes:
http://www.folhadacanastra.com.br/pages/cachoeiras_rasga_canga.html
http://www.serradacanastra.com.br/atracoes/outras_atracoes.html
http://www.serradacanastra.com.br/como_chegar/de_carro.html
http://360graus.terra.com.br/offroad/default.asp?did=20821&action=geral

Foto: pedernalesman.blogspot.com.es

Aventura off-road pela Serra da Canastra

Panorama da Serra da Canastra
Panorama da Serra da Canastra

Quem vai a Serra da Canastra, no sudoeste de Minas Gerais, vai encontrar muito mais que fazendas, currais e casas com telhados de pedra. A região, famosa pelo Parque Nacional oferece trilhas para serem feitas a jipes ou mesmo a motos, além de uma boa comida mineira.

A cidade mais próxima é a Franca, a 400 km de São Paulo. Para quem quer curtir uma viajem off-road terá muitas opções para se aventurar. As pousadas da região oferecem passeios, inclusive para as famílias. Muitas trilhas estão marcadas no GPS, mais ainda não possuem sinalização. O recomendável é sempre ir com um guia que conheça o local.

É realmente um desafio seguir pelas trilhas, já que há muito morro e travessias de rios pelo caminho, sendo obstáculo para um passeio tranquilo. Quem for deve estar preparado, pois é cansativo. Mas a travessia é mais tranquila e fácil para quem está com carros 4×4. O bom de ir de carro é que dá para mais gente e fazer um passeio em família. Se for de moto é bom ter alguém só por precaução.

Antes de viajar é importante ver qual a época do ano melhor para ir. No inverno, por exemplo, é comum ter focos de incêndio na região, entretanto, o nível da água nos rios está mais baixa, o que o facilita a travessia. No verão, o risco de incêndios é menor, além de que o solo está mais úmido. É a época do ano com mais gente na região.

Cachoeira da Serra da Canastra
Cachoeira da Serra da Canastra

Muitas pessoas gostam de fazer as trilhas da parte mais baixa da chapada, pois há muitas cachoeira no caminho como a Casca d’Anta e Maria Augusta. Já na parte alta, o terreno é plano e não há cachoeira no entorno.

Fora a aventura, a gastronomia mineira não pode ser deixada de lado. Apreciar um bom queijo típico da serra é uma das coisas imperdíveis da Serra da Canastra. A comida caseira nas pousadas é o que há de melhor e não podem ser deixadas de lado.

A região não é ótima somente a quem goste de esportes radicais, dá para principalmente descansar. Há trilhas mais tranquilas e aproveitar o parque nacional sem estresse e com calma. É um dos locais de Minas Gerais que devem fazer parte do roteiro de qualquer turista que busque por algo diferente, pois o turismo no estado se deve mais às suas cidades históricas como Tiradentes, Ouro Preto e Mariana.

Para quem for a Serra da Canastra vindo de São Paulo, é melhor ir pela cidade de Passos, em Minas Gerais. Já quem sair de Belo Horizonte, o ideal é passar por São Roque de Minas-Piumhi e pela cidade de Sacramento, na região do triângulo mineiro.

Tendo em conta os comentários de nossos leitores, publicamos uma Errata sobre este artigo, que pode ser encontrado no seguinte link:

Foto 1: Thiago Melo no Flickr
Foto 2: ground.zero no Flickr