O que levar para Acampamentos nas Montanhas?

Passar alguns dias nas montanhas representa atividade interessante para todos que amam estar ao lado da natureza. No Brasil há grande diversidade de regiões montanhosas com excelentes campings. Alguns aventureiros já preferem acampar em locais que isentos de presença humana para sentir todo o ar proporcionado pela vida selvagem. Entre tanta disponibilidade são necessários alguns cuidados imprescindíveis. Dicas sobre o que levar em passeios nas montanhas. Prepare a bagagem!

Vestuários: Roupas direcionadas para temperaturas quentes e frias. Ambientes montanhosos normalmente trazem calor intenso no dia e grande ventania de noite. Capas de chuvas também precisam ser inseridas na amochila.

Higienização: Toalhas, cruciais para pós-banho nos rios e cachoeiras. Sabonete, escova / pasta de dentes, papel higiênico, pente / escova de cabelos, desodorantes, shampoos, entre outros produtos indispensáveis para a higiene pessoal.

Cozinha: Além dos talheres principais como copos, talheres e pratos, outros itens não podem se esquecidos, caso dos abridores de lata, panelas, vasilhames compostos por plásticos, etc. Temperos, açúcar e sal. Fogareiro e botijão de gás simbolizam os itens mais pesado da viagem, porém somente funcionam com isqueiros ou caixas de fósforos, objetos com maior leveza dentre todos!

Alimentação: No café da manhã lanches naturais são escolhas interessantes. Muita diversidade de vitaminas presente – nas montanhas mais do que nunca esta alimentação fornece sustentação às aventuras fantásticas junto com amigos e colegas no ambiente montanhoso.

Manteiga, achocolatados, bolo e barras energéticas proporcionam fibra. Adultos podem optar por sardinhas ou pão árabe. Abundância de cereais e frutas.  Para o almoço ou jantar existem diversas opções que combinam pragmaticamente com a ocasião:

Legumes refogados, macarrões instantâneos, sopas, enlatados, arroz em pacotes, feijão ao vácuo, entre outras opções. Água, achocolato e sucos. Adultos que apreciam alcoólicos podem tomar vinhos, quentão, entre outros, normalmente degustados de noite.

Proteção: Repelente, indispensável contra ataques de insetos em bando. Apito também é utilizado com veemência, principalmente para convocar grupos espalhados ou perdidos na mata. Linha e agulha para costurar roupas rasgadas. Kit de primeiros socorros completos, na validade, assim como analgésicos e remédios contra picadas de cobras.

Equipamentos: Barraca com qualidade representa ponto indispensável neste ponto de discussão. A resistência contra ventos precisa estar evidenciada na estrutura da composição. Qualidade necessária também nos:

Sacos de dormir, travesseiros (de preferência pequenos), botas, óculos de sol com lentes qualitativas, bonés e Silver Tape. Corda, lanterna, canivete, cantil e hidrosteril (purificador de água) terminam a lista dos itens necessários para ir aos acampamentos de montanhas.

Fonte: Mochileiros.com

Terra dos esportes radicais, Brotas atrai 140 mil turistas por ano

Brotas é a terra dos esportes radicais

Localizada praticamente no coração do estado de São Paulo, a cidade de Brotas é o maior pólo do turismo de aventuras radicais no Brasil. São mais de 240 km de distância que separa a cidade interiorana da capital paulista. Com 22 mil habitantes, Brotas recebe em média cerca de 140 mil turistas por ano. Para atender toda essa demanda, o município conta com uma vasta rede hoteleira, que inclui hotéis e pousadas espalhados pelas zonas rural e urbana. A dica é chegar ao local de carro, o meio de transporte mais eficiente para quem pretende explorar as inúmeras atrações radicais da cidade. Quem vai de ônibus perde muito tempo durante a locomoção, pois as fazendas e sítios onde são praticados os esportes de aventura são afastados do centro da cidade. Evite se deslocar pelo município usando táxis, pois isso encarece muito a estada na região.

Quem visita esta cidade deve levar na bagagem protetor solar, roupas leves, tênis para caminhada e muito repelente. Os esportes costumam sujar e molhar, portanto é aconselhável que os acessórios sejam velhos. A maior parte das atrações radicais está concentrada ao longo da estrada Municipal Brotas/Patrimônio. A Igreja de Santa Cruz é o ponto de referência para quem segue nesta direção. Para os mais religiosos, vale a pena conhecer a imagem de madeira da Nossa Senhora de Brotas, padroeira da cidade

Como toda cidade do interior brasileiro, Brotas possui uma Igreja Matriz, um clima sereno e todas as pessoas se conhecem. O que diferencia este lugar dos demais do gênero é justamente o título de “capital paulista do turismo de aventura”. Não deixe de encarar um rafting ou bóia-cross no rio Jacaré Pepira, o principal da cidade. Ou então, para quem prefere algo em terra firme, existem inúmeras opções de tirolesa, rapel, cavalgadas, trilhas em meio a matas fechadas etc. É possível praticar essas modalidades durante o ano inteiro, inclusive no inverno. As principais agências de turismo oferecem guias diários para auxiliar os visitantes nessas empreitadas. Com toda essa variedade, fica impossível conhecer Brotas em apenas um final de semana. Há atividades suficientes para várias visitas. Quem gosta de tomar banho de cachoeira tem alternativas de sobra: Das 74 quedas d’água da região, 27 estão abertas a visitação.

Porém, como nem todas as pessoas gostam de se submeter a grandes doses de adrenalina, Brotas também oferece atrações mais tranqüilas, como o Centro de Estudos do Universo. Astrônomos amadores se divertem com o potente telescópio e com as sessões interativas do planetário.

Foto Brotas esportes radicais: brasilnetwork.tur.br

Emoções do turismo de aventura

A Tiroleza na Praia de Morro de São Paulo é uma das atrações turísticas mais visitadas pelos turistas de aventura

Uma excelente ideia para aqueles que buscam emoções e contato com a natureza é o turismo de aventura. Este tipo de esporte não é de caráter competitivo e sim uma experiência agradável e ímpar para se estar próximo de paisagens exuberantes e adrenalina a flor da pele.

O turismo de aventura é um segmento do setor turístico que compreende o movimento de turistas cujo atrativo principal é a prática de atividades de aventura de caráter recreativo. Podendo ocorrer em qualquer espaço: natural, construído, rural, urbano, estabelecido como área protegida ou não. Algumas atividades relacionadas são: Rafting, rapel, mountain bike, mergulho autônomo, mergulho de apnéia, trekking, arborismo, exploração de Cavernas entre outras atividades.

O Estado da Bahia, por exemplo, pode ser considerado território atraente e desafiador para os praticantes dos Esportes de Aventura. Na maioria das regiões do estado pode-se encontrar condições favoráveis para a prática deste tipo de atividade. Pelo fato de estar inserida na região Nordeste do país, que compreende o clima semi-árido e quente, com pouca chuva durante o ano e possuindo um relevo acidentado, a Bahia vem se tornando palco para a prática de diversas modalidades dos Esportes de Aventura.

Na Bahia, destacam-se como destinos para a prática do Turismo de Aventura: a Chapada Diamantina, onde se pratica o rappel, trekking, tirolesa, mergulho, atividades assim ligadas à natureza; a Ilha de Itaparica, inserida na Baía de Todos os Santos, onde é possível praticar uma diversidade de esportes náuticos, além do pára-quedismo; Morro de São Paulo, que sempre teve destaque através do turismo de lazer devido principalmente às suas praias, mas que atualmente também vem se destacando no cenário de aventura, com relevância às atividades de mergulho e de tirolesa; e, por fim, o município de Paulo Afonso, inserido no sertão baiano que vem se constituindo num referencial para o Turismo de Aventura, com a possibilidade da prática de modalidades como bungee jump, base jump, tirolesa, rapel, trekking, pára-quedismo.

É importante saber o que levar na mala para uma viagem de turismo de aventura: utilize sempre roupas leves, um boné e óculos de sol. Tenha consigo alimentos leves, em uma viagem desse tipo uma pizza não convém. Não se esqueça dos artigos de higiene pessoal como escova de dente, sabonete e um protetor solar. Não se esqueça também de levar um kit de primeiros socorros, afinal de contas nunca sabemos o que pode acontecer.

Você não precisa ser praticante regular desse tipo de experiência (repleta de emoção, diga-se de passagem!) nem ser um super atleta: pessoas “comuns” podem participar. É verdade, contudo, que certas atividades exigem um mínimo de preparo físico, como é o caso do mergulho. Diversas entidades têm parcerias com hotéis-fazenda e pousadas e oferecem diferentes pacotes em finais de semana que podem incluir refeições Consulte seu guia de vigens e saiba qual a melhor opção para você.

Foto: whl.travel no Flickr