Centro Histórico de São Luís

Centro Histórico de São Luis

Parte da região central de São Luís está tombada como patrimônio estadual devido ao conjunto de arquitetura portuguesa que remonta épocas da colonização. Grande parte possui composições de azulejos na parte exterior, tática que os moradores encontraram para tentar diminuir o alto calor encontrado nestes tópicos.

São 2.500 imóveis considerados oficiais, embora a IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) órgão vinculado intimamente ao Ministério da Cultura, demonstre contabilização inferior. Devido ao conjunto e valor cultural da obra, UNESCO concedeu título de Patrimônio Mundial no ano de 1997. Conheça o Centro Histórico de São Luís.

Há grandes conjuntos de sobrados: Na parte térrea fica a zona comercial da estrutura. Os pisos superiores possuem caráter residencial ou hoteleiro. Detalhes encontrados interna e externamente são ricos em conceitos estéticos refinados.

Algumas construções históricas merecem destaque:

Palácio dos Leões: Sede do governo e símbolo presente nos cartões postais que retratam a cidade. Sua fachada onipresente impressiona mesmo quem não aprecia conjuntos arquitetônicos gigantes. Já passou por inúmeras reformas com estrutura original sendo mantida no aspecto estético.

Construção do forte feita por franceses que ambicionavam colonizar a região. Foram expulsos pelos portugueses no ano de 1615. Reino português rebatizou o nome de São Luís para São Felipe. Aumentou a estrutura de forma considerável na época imperial. A primeira reforma de grande amplitude ocorreu em 1896, em épocas republicanas.

Palácio de La Ravardière: Situado ao lado do Palácio dos Leões, também foi construído na época de domínio francês para homenagear o primeiro colonizador da cidade, Daniel de la Touche, Conde de La Ravardière. Mesmo havendo a expulsão propiciada pelos portugueses, o busto de bronze de Daniel ainda permanece em frente ao edifício.

Catedral de São Luís: Levantado no ano de 1677. O edifício já serviu como convento jesuíta. Igreja dedicada a Nossa Senhora da Luz. O retábulo de telha dourada construído no séc. 17 presente no altar ainda permanece intacto. A IPHAN tombou este monumento no ano de 1954.

Palácio Episcopal: Obras foram encerradas no final do séc. 17. Quando os jesuítas foram expulsos do Brasil-colônia a estrutura passou a ser controlada pela Catedral de São Luís. No séc. 19 ocorreram diversas reformas no intuito de abrigar a Arquidiocese do Estado.

Teatro Artur Azevedo: Foi construído em 1815 com a participação direta da iniciativa privada comercial da cidade que vivia o apogeu da comercialização do algodão. Nome que homenageia o dramaturgo maranhense Artur Azevedo.

Leia mais
Conheça os Patrimônios Culturais da Humanidade brasileiros

Foto: culturart-tissiano.blogspot.pt

Turismo histórico, praias paradisíacas e ritmos jamaicanos são os maiores atrativos de São Luís

A Lagoa da Jansen em São Luís, Maranhão

Fundada por franceses, a capital do Maranhão conta com um rico acervo arquitetônico tombado como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura). No Centro Histórico de São Luís, que passou por um processo de revitalização nos últimos anos, o visitante pode conhecer as ladeiras e ruas estreitas de paralelepípedo, escadarias, becos, praças, mirantes e casarões imperiais. São mais de três mil e quinhentas construções espalhadas por uma área de 250 hectares.

Na época do surgimento da cidade, em meados do século 17, uma das principais preocupações era a de adaptar a arquitetura européia ao clima tropical e úmido da região. A solução encontrada foram os azulejos trazidos de Portugal para revestir as casas e amenizar os efeitos do calor e das infiltrações provocadas pela umidade. Com o passar do tempo, os azulejos coloridos tornaram-se verdadeiras obras de arte, tornando-se marca registrada da cidade. Posteriormente, a idéia foi trazida de volta para Portugal e essas construções também podem ser encontradas no país.

A influência de diversos povos, como os franceses, holandeses, portugueses, africanos e americanos nativos faz da gastronomia de São Luís um dos pontos fortes da cidade. O arroz de cuxá, geralmente acompanhado de frutos do mar, é o prato mais famoso do Maranhão. A capital do estado possui uma ampla rede de restaurantes típicos, além de churrascarias, bares e lanchonetes.

Na época do carnaval, a cidade atrai visitantes de vários lugares do Brasil em busca dos blocos carnavalescos que tomam conta das ruas do Centro Histórico e de outros bairros. As batucadas, as danças típicas e coreografias diferenciam o samba de São Luís dos encontrados no resto do país. Mas, a principal festa popular do Maranhão é o São João. Durante boa parte do mês de junho, a cidade de São Luís fica repleta de arraiais, celebrações folclóricas e festas juninas. A principal atração é o Bumba-Meu-Boi, marca registrada do Estado do Maranhão e do Brasil que, surgiu durante o período colonial.

A cidade também é cercada de praias paradisíacas, já que é uma das três capitais brasileiras situadas em ilhas (As outras duas são Florianópolis e Vitória). Dentre as mais frequentadas por moradores e turistas, as praias de São Marcos, Olho d’Água, Calhau e Araçagy são as mais famosas. A praia da Ponta d’Areia concentra vários restaurantes, bares e clubes de Reggae. Aliás, casas especializadas nesse ritmo podem ser encontradas por toda a cidade, tornando São Luís conhecida como a “Jamaica Brasileira”.

Na capital nacional do Reggae, acontecem diversos shows ao ar livre com caixas de som controladas por DJ’s, semelhantes aos típicos Sound Systems de Trenchtown, na Jamaica. O Reggae é o maior atrativo para o público jovem, já que a cidade é berço de várias bandas famosas no cenário nacional, como a Tribo de Jah.

Foto: Eurico Zimbres na Wikimedia Commons