Warning: call_user_func_array() expects parameter 1 to be a valid callback, class 'adsenseib30_textInHome' not found in /home/customer/www/viagemhoje.com/public_html/wp-includes/class-wp-hook.php on line 307

Conheça o Shard, o novo arranha-céu mais da Inglaterra

The Shard
The Shard, o prédio mais alto da Europa
Parece que os Emirados Árabes desejam espalhar aos quatro cantos do mundo o seu gosto por prédios grandiosos, belos e imponentes.

Financiado quase que totalmente por um grupo do Qatar, Londres recebeu no início de fevereiro a inauguração do arranha-céu Shard, que com seus 310 metros de altura conquistou a posição de prédio mais alto de toda a União Europeia, além de oferecer uma vista excepcional da cidade.

Sua construção começou em março de 2009 e seu arquiteto se chama Renzo Piano, que tem na conta a criação do Centro Georges Pompidou, referência turística na França, enfrentou diversos obstáculos para que sua obra saísse do papel: o local em que o edifício se encontra era ocupado por outro, que precisou ser totalmente desmanchado para dar lugar à nova construção.

O arquiteto também teve que lidar com a resistência de várias personalidades da cidade, que se opuseram fortemente à construção do prédio, alegando que ele seria “um caco de gelo atravessando o coração da Londres histórica”, frase que ajudou a batizar o prédio (shard significa caco, em inglês).

Mas William Matthews, chefe de execução do projeto concebido pelo arquiteto italiano Renzo Piano, rejeita as críticas.

“A torre Eiffel provocou reações de ódio quando foi construída, e agora é um monumento emblemático admirado pelos parisienses”, afirma William Matthews responsável pela execução do edifício londrino, que acredita que o tempo mostrará que a cidade só tem a ganhar com a aquisição do arranha-céu.

E, ao que parece, ele está certo: já foram registradas milhares de reservas para conhecer o topo do Shard, que espera receber cerca de 1 a 1,5 milhão de pessoas por ano a um preço de entrada fixado em 24,95 libras (US$ 40 ou cerca de R$ 80,00).

Por dentro do prédio

Além da altura respeitável, o prédio traz em seu interior escritórios de trabalho estilo premium (2º a 28º andar), um hotel(34º a 52º), residências de luxo (53º a 65º), lojas de compras, restaurantes (31º a 33º) e um spa (52º), além de uma galeria construída para visitas, que ocupa quatro andares da construção (68 e 72º) e possui 245 metros de altura.

Os responsáveis pelo prédio esperam receber um público diário de 8 mil pessoas entre visitantes e frequentadores do prédio. Uma curiosidade é que a música de elevador foi feita exclusivamente para o Shard e conta com a interpretação da Orquestra Sinfônica de Londres.

Foto: innoarchitecture.wordpress.com

Um tour com ex-moradores de rua em Londres

Tours guiados pela cidade de Londres
Tours guiados pela cidade de Londres
Um novo percurso de turismo surgiu em Londres, principalmente com o boom das olimpíadas na cidade. Ex-moradores de ruas estão fazendo tours guiados pela capital inglesa em ruas pouco conhecidas, além das áreas mais pobres da cidade.

A ideia surgiu do projeto social local Sock Mob Events, criado em 2010,  que tinha como objetivo colocar os visitantes em contato com as pessoas mais pobres. A partir disso surgiu a ideia de transformar em turismo. A idealizadora do projeto Faye Shields defende a ideia.  “Quem conhece melhor as ruas do que quem vive nelas?” Além disso, Faye ressalta a importância do projeto como ocupação para ex-moradores de rua. “É muito difícil encontrar trabalho quando você está nas ruas. Trabalhar como guia faz muito bem para a autoconfiança”, disse.

Hazel foi uma das moradoras de rua que entrou no projeto. Após a moret do marido em 2005, ela foi à Londres em busca de uma vida melhor. A inglesa teve dificuldade para achar moradia, além de não ter conhecidos na cidade. Ela viveu pelos becos da cidade até conseguir o emprego de guia turística pelo projeto Sock Mob Events. Com o dinheiro que ela ganha, ela conseguiu um lugar para viver e hoje continua trabalhando como guia contando a história de sua vida pelas ruas de Londres.

Com as olimpíadas a frequência de turistas na cidade aumentou. Com isso, o projeto acrescentou mais um percurso no roteiro: o bairro de Brixton. Antigamente ele era considerado um dos mais perigosos da cidade e com o tempo ganhou um ar mais boêmio ao receber mais bares e restaurantes ao longo dos anos, além da vinda de imigrantes de vários países. Atualmente, Brixton é refência no hip hop e muitas pessoas vão em busca de um cenário mais artístico e multicultural, bem presente na região.

O tour

O tour é guiado por um ex-morador de rua pelos lugares mais interessantes, embora pouco conhecidos, compartilhando suas experiências e vivências nos pontos relatados. O tour passa por lugares mais pobres, mas não considerados perigosos. Hazel garante que a segurança não fica comprometida, além do mais ela os leva próximos aos lugares onde os sem-teto dorme e não propriamente dentro desses locais. “Nós queremos apenas dar uma ideia de como é a experiência de dormir na rua.”

Quando acontece:

Toda sextas-feira às 19h e aos sábados e aos domingos às 15h. O tour custa 10 libras (cerca de R$ 30).

Foto: meliterra no flickr

Exposição brasileira nos jogos olímpicos de Londres

Exposição do Brazil at Heart London
Exposição do Brazil at Heart London

Quem está na capital da Inglaterra pode contar com inúmeras atividades culturais que devem aquecer a economia da região que sofre de forma considerada por causa da crise mundial. Porém, nenhuma amostra cultura tem tanta brasilidade como a que vai estar disponível na embaixada brasileira, promovendo as Olimpíadas RJ 2016 em plena cidade londrina.

Vale ressaltar o alto nível dos recursos tecnológicos presentes nas mostras culturais da Brazil at Heart. “Esta ação de promoção é um ato representativo, mostra que o país tem entendido a importância do setor para a geração de emprego e renda”, afirmou Gastão Vieira, atual ministro do turismo. Este governante ainda disse que espera ver o país entre as três maiores potências turísticas do globo terrestre até o ano de 2022.

Presença ilustre

A abertura no dia 26 de julho contou com a presença da presidenta Dilma Rousseff. O projeto é organizado em parceria com três ministérios (Turismo, Esportes e Relações Internacionais), EMBRATUR (Índice Brasileiro de Turismo) e APEX-BRA (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

De certa forma, parte dos organizadores esperam que as exposições tragam não somente mais turistas como também investimentos. “Vamos mostrar um país que é um porto seguro para investidores, que encanta com atributos naturais já conhecidos e que está pronto para surpreender com produtos e serviços inovadores”, afirmou Luiz Fernandes, executivo do Ministério dos Transportes.

Evento com as portas abertas ao público até o dia 02 de setembro.

Principais atrações do Brazil at Heart London 2012

Visitantes são desafiados a entrar em uma disputa de embaixadinhas contra o holograma do jogador Neymar. A experiência virtual está tendo grandes expectativas entre os ingleses e demais turistas presentes dos jogos olímpicos de Londres 2012.

Há doze setores separados com informações veiculadas de forma digital ou artística sobre as 12 cidades sedes da Copa do Mundo FIFA 2014. Também existe o sistema de realidade virtual que consiste em binóculos de última geração trazendo conteúdo digitalizado sobre o Rio de Janeiro em um passeio com visões panorâmicas de trezentos e sessenta graus.

Na amostra “Torcida Social” os visitantes se integram em competições sobre os melhores palpites feitos nas redes sociais e smartphones sobre os resultados dos jogos olímpicos. “Teremos uma oportunidade única que pode produzir resultados concretos, contribuindo para nossa meta de dobrar o número de turistas estrangeiros e triplicar a entrada de divisas até 2017, ano seguinte às Olimpíadas do Rio de Janeiro” concluiu Flávio Dino, presidente da EMBRATUR

Foto: monumentoarquiteturaearte.blogspot.com.es