Clima agitado e cosmopolita faz de Buenos Aires um dos destinos mais procurados da América do Sul

Buenos Aires tem muita agitação na vida noturna

A cidade de Buenos Aires, capital da Argentina, está localizada às margens do estuário do Rio da Prata, no litoral sudeste da América do Sul. Sua população, somada a da região metropolitana, é de cerca de 14 milhões de habitantes, sendo a segunda maior aglomeração urbana do subcontinente. Buenos Aires é um dos maiores centros culturais de toda a América Latina. Essa efervescência encontra-se representada na enorme quantidade de museus, bibliotecas, teatros e bares. Por conta disso, a capital portenha atrai milhares de turistas todos os anos, vindo do mundo inteiro e, principalmente, dos países vizinhos. A Argentina é o segundo país mais visitado da América do Sul.

Os principais pontos turísticos da cidade estão no Centro Histórico. A Plaza de Mayo é o lugar mais famoso da capital portenha, onde estão concentrados os edifícios mais antigos. A Casa Rosada, sede do poder executivo nacional, está em frente a praça. A cerca de dois quilômetros de distância a oeste da Casa Rosada, é possível ver o Palácio do Congresso, sede do poder legislativo da Argentina. Ambos estão ligados pela Avenida de Maio, razão pela qual é considerada o Eixo Cívico do país. Outro lugar importante da capital é a larga Avenida Nove de Julho, onde se localiza o obelisco de Buenos Aires, erguido em comemoração ao quarto centenário de fundação da cidade.

A vida noturna de Buenos Aires é uma das mais agitadas do mundo. Como toda cidade cosmopolita, oferece inúmeras opções de bares e casas noturnas. É impossível visitar Buenos Aires sem assistir a um bom espetáculo de tango, o ritmo característico da Argentina. Dentre os lugares onde há os espetáculos de tango mais famosos da cidade, pode-se destacar a Esquina Carlos Gardel, o Señor Tango, e o Viejo Almacén, famosos pelas mais tradicionais apresentações. O bairro boêmio de San Telmo é um dos mais importantes redutos do estilo musical, com vários restaurantes e casas de show especializadas no ritmo. Mas nem só de tango vivem os argentinos. A cidade possui várias discotecas, baladas, bares e estabelecimentos alternativos destinados aos públicos de todas as idades e todos os gostos.

Em Porto Madero, estão concentrados vários hotéis, restaurantes, clubes, cinemas, um museu, além de uma bela vista para o Rio de La Plata. A região é uma antiga área degradada que passou por um processo de revitalização nos últimos anos. Atualmente, Porto Madero é um dos principais centros financeiros da cidade, com uma paisagem encantadora repleta de arranha-céus modernos.

Vale a pena visitar também o bairro de Recoleta, um dos mais luxuosos de Buenos Aires. Outra boa opção é o bairro Boca e Caminito, famoso pelos cortiços revitalizados de fachadas coloridas e pelas feiras de artesanato.

Buenos Aires possui uma ampla infra-estrutura de hotéis, pousadas e albergues, além de um povo muito receptivo com os turistas.

Foto Buenos Aires: argentinaenbreve.blogspot.com

No fim do mundo em terras argentinas

Estação do Trem do Fim do Mundo, Ushuaia, Terra do Fogo

O fim do mundo está bem perto do Brasil. E é na vizinha Argentina. A cidade de Ushuaia, capital da província da Terra do Fogo, possui uma das posições mais estratégicas do mundo, por ser o ponto mais extremo do planeta. Ushuaia é o local mais próximo da Antártida.

A cidade possui museus e ecoturismo para quem quer uma diversão bem perto da natureza. O Parque Nacional Tierra Del Fuego é uma ótima opção. Criado em 1960, o parque é uma área de 63 mil hectares. Lá é possível avistar lagos, montanhas e os diques formados por castores.

O Trem do Fim do Mundo é uma atração turística para conhecer a história local. Na época em que o famoso presídio de Ushuaia estava em funcionamento, os criminosos eram levados de trem até um local para cortar lenha e fornecê-la à população. Hoje, o trem é um ponto turístico importante que da estação do Fim do Mundo e realiza um trajeto de aproximadamente 20 minutos.

O Teleférico de Ushuaia leva os visitantse até o Glaciar Matial, a maior fonte de água potável da cidade.  Há uma trilha no local, que ao chegar no topo, pode-se encostar no gelo do Martial e ter uma vista de toda a cidade, incluindo o Canal de Beagle e a Ilha Navarino, no Chile. No inverno, essa trilha se transforma em uma estação de esqui.

Há um famoso passeio a barco pelo Canal de Beagle, divisa entre Argentina e Chile, que passa por diversas ilhas como a Ilha dos Pássaros e a Ilha dos Lobos. É possível ver de perto leões marinhos tomando sol, brincando, dormindo e voltando para as pedras depois de um mergulho.  Durante o passeio dá para avistar o Farol do Fim do Mundo, um dos símbolos da cidade.

Quando ir:

A alta temporada é entre outubro e abril, época melhor para aproveitar os passeios de barco e as trilhas da região. Mas para quem quer usufruir da estação de esqui da cidade, a melhor época é entre julho e agosto.

Como ir:

É possível chegar de avião a Ushuaia, saindo de qualquer uma das principais cidades da Argentina. De ônibus é possível sair de Buenos Aires, onde há linhas regulares.

Onde ficar:

O Hostal Los Calafates está perto do centro comercial da cidade e está a três quadras de museus, restaurantes e bancos.

Foto: Leandro’s World Tour no Flickr

Mendoza: uma parada obrigatória na região do Cuyo

Lago no Parque San Martín na cidade de Mendoza

A mais de 700 km de Buenos Aires, Mendoza está localizada na região de Cuyo, perto da fronteira com o Chile, e está aos pés da Cordilheira dos Andes. A cidade é outra opção turística para quem quer conhecer um pouco mais o território argentino.

Mendoza também é muito famosa pode ser a região onde está localizada a maior quantidade de vinícolas no país. São mais de mil bodegas, correspondendo 70%  da quantidade nacional.

Caminhos do Vinho é uma das principais atrações da cidade. O visitante conhece vinícolas e adegas da região, além de fazer degustações. O que há mais na cidade são opções de roteiro de vinhos. Ainda nessa linha, o Museu do Vinho San Felipe MonteCasedor é outra alternativa para conhecer mais sobre as bodegas  da região.

A Plaza Independencia também deve fazer parte do roteiro. É uma grande área de jardins que está localizada no centro histórico. O Parque San Martín é outra opção. No local há uma elevação onde o visitante tem uma bela vista da cidade e dos Andes.

Um ponto turístico muito famoso de Mendoza são as Ruínas de San Francisco Videla Castillo. São as ruínas de uma igreja e escola usadas por padres jesuítas, em 1767. Depois as construções foram ocupadas pela Ordem Franciscama, e hoje o local está aberto à visitação. A Basílica de San Francisco também vale a pena ser visitada. É a igreja favorita dos mendocinos.

Como ir:

TAM e Aerolíneas fazem voos para a cidade. No Decolar.com, estão disponíveis informações sobre passagens e horários da companhias aéreas.

Quando ir:

O clima em Mendoza é ameno o ano inteiro, logo em qualquer período, o visitante podera aproveitar a cidade. O cenário da região também fica muito bonito entre outubro e maio, quando há flores e frutos, além de ser a época da plantação de uva.

Onde ficar:

O Bohemia Hotel Boutique está localizado no bairro de Granaderos. A acomodação é um casarão antigo que foi reformado e que tem vista para a Cordilheira dos Andes. Eles está perto de bares e restaurantes, além de estar próximo do Parque San Martín e a 15 minutos da Plaza Independencia.  O hotel também oferece roteiros de vinho para os hóspedes.

Visto:

Como a Argentina faz parte do Mercosul, brasileiros não precisam de visto e podem viajar sem passaporte, basta apresentar a carteira de identidade.

Foto: mewd no Flickr