Feiras do Livro na Europa e Crise Mundial

Feira do Livro de Madrid
Feira do Livro de Madrid
Quem viajou para Europa em busca de cultura em 2012 não se arrependeu. Principalmente os turistas que frequentaram as feiras do livro. Europa é conhecida por ser região na qual os intelectuais estão presentes em diversos campos acadêmicos. Os grandes centros contaram com a presença dos próprios escritores que assinavam livros e recebiam críticas positivas e negativas. Entre o cenário Europeu vale destacar os eventos ocorridos na Espanha e Itália.

Feira do Livro – Espanha: 2012

A feira do livro espanhola realizada em Madrid não escapou dos efeitos da crise econômica no velho continente. Vendeu 19% a menos do que em 2011, volume de negócios equivalentes em sete milhões de euros. A 71° edição da Feira do Livro de Madrid trouxe para a capital espanhola:

  • 425 expositores, 22 a menos do que no ano passado, dos quais 52 são livrarias gerais
  • 66 livrarias
  • 272 editores
  • 11 distribuidores
  • 24 agências, em 356 salas, sete a mais do que no ano passado

Feira do Livro – Itália: 2012           

A edição de 2012, em solo italiano, representa segura motivação para recuperar a motivação cultural do povo. Itália, outro país que sofre abalos com a crise e que ao mesmo tempo está lotada de escritores com qualidade.

Os efeitos provocados pelo governo de Berlusconi fazem com que a dívida pública do país seja equivalente a 130% dos valores equivalente ao PIB italiano. “Itália, um país que lê”, nome do novo programa italiano que ambiciona resgatar o otimismo do espírito da pátria.

O diretor do Instituto Italiano de Cultura, D. Carmelo Di Gennaro, inaugurou o programa de atividades na Itália com uma conferência focada em seu artigo: “O conflito entre a razão e a lei estadual de moral e amor fraternal. Crioulo, a linguagem mestiça de escravos e padrões de plantação brancos”; publicado no jornal italiano Corriere della Sera.

Não se pode ignorar o fato que 33 atividades tinham relação com a cultura da Itália. Todas organizadas sob a administração do Instituto de Cultura Italiana. Na parte da manhã, a ala das crianças já recebeu grupos escolares no programa denominado Entredos, em que os pequeninos foram encontrados com autores e ilustradores para estabelecer diálogo cultural.

No evento existiram inclusive pavilhões feitos para crianças aprenderam a ter gosto pela leitura, aspecto fundamental para que as identidades morais sejam criadas e elevadas, principalmente entre o público infantil. Passeios tematizados em algumas histórias e personagens italianos conhecidos dentro e fora da Itália.

Foto: beamontero.blogspot.com