Tallinn, Capital Europeia da Cultura 2011

Tallinn é a Capital Europeia da Cultura 2011

Mesmo tendo sido contemplada com o menor orçamento da história das capitais europeias da cultura, os responsáveis pelo Projeto Tallin 2011 decidiram investir fortemente na cultura por toda a cidade. “Histórias da costa marítima” é o tema principal do Projecto Tallin 2011. Durante séculos o mar foi o caminho para os estônios entrarem em contato com os povos europeus. Na época soviética os portos foram fechados e o mar transformou-se apenas numa barreira. Agora, o objetivo do projeto é o de ‘devolver o mar aos cidadãos’.

A Estônia nunca foi um destino muito visado pelo turismo de massa. Entretanto, depois de Tallin ter sido eleita a capital cultural europeia da vez, a tendência é que o fluxo de turistas aumente bastante.

Eventos estão previstos para quase todos os dias do ano, nas mais diversas áreas – cinema, literatura, teatro, música… E por falar em música, aproveitando a moda do samba-reggae na Estônia, um dos principais eventos será o AfroReggae & TRUMM-IT. Para quem nunca ouviu falar, o Grupo Cultural Afroreggae é um projeto social brasileiro, iniciado nas favelas do Rio de Janeiro, que tem como objetivo possibilitar aos jovens carentes o acesso à arte e à cultura, através de aulas de percussão ou de teatro. A partir daí formou-se a banda de afroreggae, na qual o grupo TRUMM-IT, sediado em Tallin, foi inspirado. Patrocinado pelo governo local, jovens estonianos de baixa-renda agora tem condições de aprender a tocar percussão sem ter que pagar nada por isso. O evento previsto reunirá os dois grupos em diversas apresentações. Para conferir a grade completa da programação, acesse o website oficial do evento Tallin2011.ee.

Descobrindo a Antiga e a Moderna Tallin

Durante a maior parte de seus quase 1000 anos de história, a Estônia esteve sob o jugo de diferentes povos, dos quais se destacam os dinamarqueses, os alemães, os suecos e os russos, que deixaram fortes marcas na cultura deste povo e na arquitetura de suas cidades. Os russos-soviéticos foram os últimos a ocuparem o país. Foi apenas com a derrocada do regime soviético que a Estônia obteve sua independência, em 1991. Estas sucessivas ocupações acabaram refletindo-se na arquitetura de seus monumentos históricos medievais, tornando único o estilo Gótico Estoniano.

As origens da cidade de Tallin remontam ao século XIII, quando um castelo foi construído pelos cavaleiros cruzados da Ordem Teutônica. Dentre os símbolos arquitetônicos nacionais, a chamada Cidade Velha, que é o centro histórico de Tallin, foi considerada a mais bem preservada cidade medieval da Europa e tombada como Patrimônio Mundial pela UNESCO.

O centro histórico da cidade de Tallin é dividido em duas partes: a All-Linn, parte baixa, e a Toompea, parte alta, onde vivia a classe dominante. O passeio pela Cidade Velha inicia-se através do portão Viru Gates (parte baixa). Seguindo pela rua Viru, você encontrará uma grande concentração de lojas e restaurantes; ao seu final, chega-se no coração da cidade – a Praça Central Raekoja Plats. Durante a alta temporada de verão, a praça fervilha com seus cafés com mesas ao ar livre, e vira palco de vários shows musicais e um Festival Medieval. Não deixe de visitar o palácio gótico da prefeitura, que agora abriga um museu e um auditório para concertos.

Também é aqui que funciona, desde 1422, a farmácia mais antiga do mundo. Administrada de 1581 até 1911 por dez gerações consecutivas de uma mesma família – os Burcharts –, ficou muito famosa na época do czar russo, que costumava encomendar seus remédios aqui.

E para os interessados em artesanato, faça uma caminhada por uma das mais charmosas ruelas medievais – a St. Catherine’s. Nesta passagem estão reunidas várias lojinhas de artesanato e que são conhecidas como a Guilda de St. Catherine. Os artistas utilizam métodos tradicionais para criar objetos de cristal, cerâmica, couro, chapéus, colchas, e várias outras peças. Se chegar na época de natal, dê uma passada nos mercados ao ar livre – lã, algodão, linho, chocolates, cerveja, defumados e presentes tradicionais são alguns dos ‘mimos’ à venda. O maior destes mercados está localizado na praça Raekoja.

Subindo pelas charmosas ruelas medievais, chega-se à parte alta do centro histórico – Toompea. A partir das plataformas de observação Patkuli e Kohtuotsa, é possível ter uma vista encantadora da Cidade Velha, do litoral e do centro da cidade moderna de Tallin. A riqueza do local é demonstrada pela opulência de suas construções – as muralhas da cidade, com suas 26 torres de observação, numerosos casarões construídos pela aristocracia na Idade Média e as casas comerciais germânicas que datam, na sua maioria, dos séculos XIV – XV. Outra atração são as igrejas batista St. Olaf`s (São Olavo), construída entre os séculos XV e XVI; a igreja St. Nicholas` (São Nicolau), do século XIII, e que funciona como museu de arte sacra e sala de concertos; e a Catedral Ortodoxa Russa Alexander Nevsky, da época  em que a Estônia fazia parte do Império Czarista.

Encravada num penhasco de pedra calcária, o Castelo de Toompea sempre foi – e ainda é – o centro de poder da Estônia. Desde os cavaleiros da Ordem Teutônica, todos os Impérios estrangeiros que governaram o país tiveram o castelo como sede. Seguindo a tradição, atualmente é a sede do parlamento estoniano. O escritório do Primeiro Ministro fica na Casa Stenbock, a um minuto de caminhada do parlamento.

Centro histórico de Tallinn

Outra visita recomendada é ao Monastério Dominicano, agora transformado em museu. Durante a sua caminhada pelos corredores do Monastério de St. Catherine, caso imagine ter ouvido cantos de monges que ali viveram séculos atrás, não se preocupe. Não será o primeiro a afirmar já tê-los escutado. Erguido em 1246, esta é a mais antiga e bem preservada construção da cidade de Tallin. Para quem ficou interessado, saiba que as visitas guiadas ao local devem ser pré-agendadas.

Deixando a ‘cidade medieval’, logo você se depara com uma Tallin totalmente modernizada. Um dos melhores exemplos da arquitetura moderna é o bairro Rotermann, que fica logo depois da Cidade Velha. Antigos prédios industriais foram reformados e agora abrigam um grande número de butiques, hotéis, cafés, galerias e um mercado ao ar livre famoso pelos seus eventos como feiras temáticas, exposição de carros e concertos musicais. Para compras e entretenimento, a cidade também conta com o espaçoso Ülemiste Shopping Centre.  Já o Museu de Artes Kumu exibe grande parte da arte estoniana dos períodos clássicos e moderno. Foi eleito como o melhor museu da Europa em 2008. Com reabertura prevista para junho de 2011, o Museu de História da Estônia apresenta a história estoniana desde o período pré-histórico até finais do século XX. Filmes e atrações interativas mostram como este povo viveu, lutou e sobreviveu nos últimos 11.000 anos.

Por último, que tal um passeio pelo Kadriorg Park, que é um dos mais ilustres parques artificiais da Estônia, e onde pode-se dar uma parada para fazer um piquenique?

Para os que gostam dos agitos da vida noturna, em Tallin sobram opções. Concentrados na Cidade Velha e seus arredores, as atrações são para todos os estilos e ritmos. A Black Taverna é um restaurante que oferece pratos típicos e internacionais e a Deja Vu Lounge é uma ‘modernosa’ mistura de bar e restaurante. Para mergulhar na atmosfera de bares temáticos, vá ao Depeche Mode Bar, que foi aberto em 1999 por um grande fã da banda. Em 2001, ganhou fama mundial após a visita dos integrantes da própria banda DM, uma noite antes de um show que fizeram na cidade. Desde então, além de ter recebido uma segunda visita da banda, vários outros famosos já passaram por lá. A ‘prova’ destas célebres visitas estão nas assinaturas deixadas na famosa Parede dos Autógrafos do bar. Procurando algo mais tradicional, então circule entre as várias opções de bares e restaurantes situados no centro histórico. Um deles, o Karja Kelder, é um bar decorado no tradicional estilo estoniano. Oferece uma grande variedade de marcas de cerveja e possui uma ótima adega de vinhos. Querendo algo mais agitado, não deixe de ir à casa noturna mais quente da cidade – o Club Hollywood. O público frequentador varia de acordo com o tipo de evento e músicas – hip hop, retrô, latinas, techno, só para citar algumas – que são embaladas pelos melhores DJs.

Mas Tallin não se restringe ao seu lado medieval e moderno. Dirigindo-se para o Oeste da cidade, você poderá visitar o Museu Rocca al Mare. Localizado no subdistrito rural de Tallin que leva o mesmo nome, este museu ao ar livre recria a vida em uma vila do século XIX. Um total de 12 fazendas estão distribuídas neste parque florestal. Lá você terá a oportunidade de ‘viajar no tempo’, na época da velha Estônia rural. São vários exemplos da arquitetura rural, tais como casas de fazendas com seus telhados de palha, moinhos de vento, uma capela de madeira, além de móveis e utensílios domésticos que eram utilizados. Demostrações também são feitas de forma a apresentar como era o dia-a-dia do povo estoniano de  antigamente, como viveram e como trabalharam. Dependendo do dia, também poderá ver apresentações de grupos da dança folclórica. O zoológico de Tallin, que também fica nesta área, ocupa 87 hectares. A lista de animais ‘residentes’ inclui rinocerontes, camelos, ursos polares, leões, bizões, cobras, dentre muitos outros. Curiosamente, o zoo mantém o maior rebanho de cabras da montanha e ovelhas do mundo. Visitas guiadas em inglês ou outras línguas estrangeiras devem ser previamente agendadas.

Fotos: DamienHR, marknw1 no Flickr

Autor: Miriam Waltrick

Blogger na rede The Diktyo SL.Jornalista Freelance e Escritora.Curso Sequencial de Marketing pela Universidade do Sul de Santa Catarina.Curso de Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Santa Catarina.Formada em História pela Universidade Federal de Santa Catarina.

10 comentários em “Tallinn, Capital Europeia da Cultura 2011”

  1. MIRIAM e um grande escritor. O artigo é claro, rico e cheio de informações. Muito obrigado, tenho que querer visitar Tallinn e seguir suas recomendações

    1. Oi Raquel, se lendo já te apaixonastes pela cidade, imagina então quando fores visitá-la! O lugar é realmente apaixonante. E sabe o que é melhor? Como ainda não é muito visada pelo turismo, e mesmo já tendo adotado o euro, consegues encontrar lugares muito baratos pra ficar. Mas aproveita porque acredito que essa situação não vá durar muito mais tempo!
      Abraços
      Miriam W

  2. Parabéns Miriam para este artigo explica como o trabalho ea cidade de Tallinn, foi realmente um prazer ler o que seguirá as recomendações de quando eu chegar.

    1. Olá Victor, fico realmente feliz em ter conseguido transmitir a essência do que é esta encantadora cidade. Os países do Leste Europeu entraram para o circuito do turismo não faz muito tempo. Depois que o regime comunista caiu é que eles começaram a se abrir para o mundo. E pode acreditar que ainda tem muita ‘jóia’ escondida por lá e que a maioria dos turistas nem imagina. E Tallin, na minha sincera opinião, é um destes achados!
      Abraços
      Miriam W

    1. Olá Alvaro, tenho certeza de que acharás Tallin um encanto de cidade. Aproveita bem a viagem, e na volta deixa um comentário aqui pra gente contando como foi! Abraços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.