Turismo ecológico em Tejuçuoca

Parque Ecológico Furna dos Ossos

Inserido na região Vale do Curu, a 142 quilômetros de Fortaleza, o município de Tejuçuoca – que na língua Tupi-Guarani quer dizer “morada do tejo” ou “morada do tejuçu”, uma espécie de lagarto muito comum na região – guarda as marcas do passado e proporciona aos visitantes uma página da história das civilizações do início do século.

Ex-distrito de Itapajé, Tejuçuoca é um lugar que desperta paixões por revelar toda a simplicidade da vida sertaneja e abre suas portas para o ecoturismo, oferecendo como atrativo o místico e sedutor Parque Ecológico Furna dos Ossos. Na paisagem árida e quase deserta surgem carcará, seriema, periquito, cancão, rouxinol, azulão, anum, beija-flor, além de tatu, peba, preá, veado, raposa, tejo, guaxinim e tamanduá.

Localizado numa área que compreende a Serra da Catirina e a Serra do Macaco, a 10 quilômetros do centro urbano de Tejuçuoca, o parque reúne grutas e furnas esculpidas pela natureza, que já abrigaram homens pré-históricos, índios e cangaceiros. Numa área de 1.200 hectares, o parque é considerado pelos moradores de Catirina, o coração magnético de Tejuçuoca.

A região é exuberante e primitiva. A paisagem – cinzenta no verão e verde no inverno – cativa o ecoturista e o convida para desbravá-la. Com uma estrutura de apoio ao visitante, o Parque Ecológico Furna dos Ossos virou atração para estudiosos, arqueólogos e também local de romarias. Muitos vão pagar promessas em uma das cavernas, onde há 45 anos foi colocada uma imagem de Nossa Senhora das Graças.

Longe da civilização, o parque é um conjunto de elevações a 450 metros acima do nível do mar. Em algumas partes, a altitude chega a 630 metros. É uma área protegida e conservada. No local, placas educativas e informativas alertam os visitantes para a preservação da área, onde a atividade agrícola é proibida. A mata nativa encontra-se em bom estado de conservação e animais silvestres raros são encontrados em seu habitat natural.

Entre trilhas e caminhos sinuosos, há locais de difícil acesso. Eles guardam paraísos indescritíveis. No parque, o visitante, com a ajuda do guia, confere as furnas dos Ossos, do Sino, da Mesa, do Chico Lopes, do Jardim, o Túnel do Amor e a Toca do Veado. Há também o Platô das Acauãs. Estalactitites e estalagmites seculares lembram animais e objetos petrificados. Elas estão próximas umas das outras. Identificá-las exige preparo físico e atenção redobrada, devido a vegetação espinhosa e fechada.

Tejuçuoca é um bom lugar para o turismo ecológico

O Parque Ecológico Furna dos Ossos é o grande atrativo turístico. Mas, na passagem pela pacata cidade, vale a pena apreciar a igrejinha de São Pedro e o coreto da pracinha. No local, é comum a apresentação da Banda Municipal. Outro atrativo é a Casa da Cultura, que conta com anfiteatro, espaço do artesanato e museu de artes e ofícios. São indumentárias do vaqueiro e utensílios domésticos antigos e raros doados por moradores, como o primeiro rádio elétrico da cidade.

O visitante ainda confere as delicadas peças em cores vivas das habilidosas bordadeiras de Tejuçuoca, a tradição festeira do município e a saborosa culinária à base de carne de bode. O período de maior movimentação na cidade é durante as festas juninas. Quadrilhas garantem a alegria. Mas, não faltam festas animadas por grupos de forró.

Fotos Parque Ecológico Furna dos Ossos: gestodeturismo-ifce20102.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *