Um passeio pela Ilha de Marajó

Praia do pesqueiro, Ilha de Marajó

Apesar de apenas quatro dos quinze municípios da Ilha de Marajó fazerem parte do roteiro turístico da região, o visitante ainda pode conhecer de forma abrangente as belezas dessa parte da Amazônia. Localizado no norte do estado do Pará, na foz do Rio Amazonas, o Marajó é a maior ilha fluviomarinha do mundo. A região é repleta de praias desertas de água salobra e igarapés, além de possuir uma riquíssima cultura descendente das civilizações pré-colombianas. A cidade de Belém, capital do estado, está a apenas 35 km a sudeste do canal que separa a ilha do continente e serve como ponto de apoio logístico aos turistas que visitam o Marajó. A viagem de barco de Belém até a ilha dura de três a quatro horas, dependendo da maré. Apesar da comodidade de ter a capital paraense por perto, os visitantes também podem contar com uma boa infra-estrutura hoteleira, principalmente nas cidades de Soure e Salvaterra.

Uma das principais atrações que a natureza proporciona na Ilha de Marajó é a enorme quantidade de búfalos. A ilha possui o maior rebanho do animal do Brasil, com aproximadamente 700 mil cabeças, espalhadas livremente pelo Marajó. Só para se ter uma idéia, a população de búfalos é três vezes maior do que a população humana. É mais fácil encontrar os animais perambulando nas estradas longe das áreas urbanas e também é possível visitar algumas fazendas especializadas no animal. Nesses locais, os visitantes podem alimentar e montar no lombo dos búfalos. Durante o verão, é muito comum encontrar os animais mergulhados na água durante o dia, já que o calor nessa época do ano costuma ser intenso.

Não deixe de visitar o Museu Histórico do Marajó, no município de Cachoeira do Arari. O acervo da instituição conta com artefatos arqueológicos dos povos indígenas que habitavam a região antes da chegada dos portugueses à América. A cidade faz parte do circuito de turismo da ilha, embora não possua uma rede hoteleira e de restaurantes tão amplas quanto a de Soure e Salvaterra. A população marajoara é majoritariamente indígena ou descendente de nativos americanos. O artesanato local, especializado em peças de couro, é inspirado na cultura dos índios e é um dos principais atrativos da região. Outro traço marcante da cultura amazônica é a dança do Carimbó, cujas principais apresentações acontecem principalmente na cidade de Salvaterra e é muito apreciada pelos turistas.

Mas a maioria das pessoas que visitam a ilha de Marajó procura pelos roteiros de ecoturismo. O fenômeno da pororoca, que gera ondas de até 6 metros de altura quando as águas do Rio Amazonas se chocam com as águas do Atlântico, pode ser apreciado na Ilha em determinadas épocas do ano. Em Soure, vale a pena visitar as praias do Pesqueiro e Barra Velha, ambas com quiosques na beira do mar. Já a Praia Grande, no centro de Salvaterra, possui um lago raso que fica na beira do mar, com apenas uma pequena faixa de areia separando-o da água do mar. Um ambiente perfeito para viagens em família ou com a galera!

Foto praia do Pesqueiro Ilha de Marajó: Fernando Stankuns no Flickr

Autor: Caio Lima

Blogger na rede The Diktyo SL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *